câmbio:

DÓLAR R$ 3.1460 EURO R$ 3.7006

Tempo, natal:

23°C

Geral

IRRESPONSABILIDADE

18/04/2017

11:34

Animais definham sem alimentos e cuidados em curral da Prefeitura de Natal

Nessa semana, um cavalo morreu por falta de tratamento adequado no local encravado nas Quintas

Por Ayrton Freire

A própria Prefeitura conta que esta égua foi roubada do curral (Foto: Cedida)

Compartilhar } 9 Compartilhamentos

Membro da Frente Parlamentar dos Animais da Câmara Municipal de Natal, Úrsula Tathiana de Medeiros, de 33 anos, denunciou ao Portal No Ar a situação precária em que vivem os equinos abrigados no curral da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (SEMSUR). Nessa semana, um cavalo morreu por falta de tratamento adequado.

“A situação do curral é terrível. É muito complicada. Uma vez por semana a gente (Frente Parlamentar) vai lá, verifica os problemas, informa à SEMSUR, mas pouca coisa é resolvida”, revelou Úrsula. Atualmente, de acordo com ela, 15 animais estão no curral localizado no bairro das Quintas, sendo que dois se encontram “muito debilitados, com muita dificuldade respiratória”.

Nessa segunda-feira (17), o único veterinário que trabalhava no curral teve seu contrato vencido, de acordo com a entrevistada pela reportagem. Conforme ela informou, o local ficou sem atendimento de saúde para os animais, o que pode piorar ainda mais a situação dos que estão debilitados e até complicar os mais saudáveis.

Equinos e bovinos resgatados ou apreendidos pela SEMSUR são levados para o curral. Chegam machucados e fracos ao local, e precisam de boa alimentação, ração que os dê força para a recuperação. Entretanto, de acordo com Úrsula, “lá só tem capim, que é muito pouco para um animal nessa situação, e por isso o cavalo veio a óbito nessa segunda (17)”.

O animal encontrado morto no curral era um dos mais queridos pelos protetores. No Facebook, uma internauta publicou uma foto com o cavalo, e com a seguinte legenda: “Ele era tão carinhoso conosco, por incrível que pareça era o primeiro a nos receber quando chegávamos lá”.

Úrsula contou que o animal tinha uma grave lesão na pata que se agravou por falta de cuidado adequado. “O veterinário falou que um cavalo lesionado, se não for tratado, aumenta a ferida. Faz 15 dias que ele fez uma cirurgia nele, mas ele não resistiu ao tempo em que esteve sem o tratamento devido”, contou.

Égua roubada no curral

Em março deste ano, ocorreu um dos episódios mais “misteriosos” da história do curral. Um animal cheio de carrapatos e debilitado fisicamente simplesmente foi roubado do local mantido pelo órgão da Prefeitura Municipal de Natal. Até hoje, a Frente Parlamentar não recebeu o Boletim de Ocorrência que solicitou.

“No dia 8 de março, denunciamos o caso triste da égua, e no dia 16 fomos informados de que ela foi roubada do curral. O responsável pelo curral disse que o dono do animal esteve lá armado com uma faca e levou ela. Mas nunca nos entregaram o BO que dizem ter feito”, relatou Úrsula.

De acordo com a protetora, “depois ela foi encontrada em Parnamirim com uma lesão no olho”. Hoje, de acordo com a mulher, a égua está sob os cuidados de um protetor e “tem vida de rainha”.

Até hoje, a protetora indaga: “Quem ia roubar um animal com carrapato, cega de um olho…?”.

‘Orgulho do descaso’

A Prefeitura de Natal se recusa a receber ajuda, afirmou Úrsula.

“No caso da égua, vendo que não tinha remédio para carrapato lá no curral, eu comprei com dinheiro do meu bolso, mas o encarregado disse que não ia receber. Fui à SEMSUR, e a resposta foi igual. Precisei conversar com o vereador Sandro Pimentel (PSOL), que levou ao Plenário da Câmara, e aí receberam o remédio”, relatou.

Citado pela protetora, o vereador Sandro Pimentel tornou público, em fevereiro deste ano, o caso de um animal que precisava fazer um exame de detecção. O bicho tinha uma doença que pode ser transmitida ao homem. A análise clínica custava R$ 100. A Prefeitura de Natal não disponibilizou o valor.

“Diante da recusa da Prefeitura, o nosso mandato se dispôs a doar o valor. Contudo, o executivo municipal, por meio da SEMSUR, não aceitou receber a doação. Assim, protocolamos uma denúncia no Ministério Público sobre a situação do cavalo. Só após a denúncia do nosso mandato ao MP, foi realizado o exame no animal”, relatou o vereador em post da época feito no Facebook.

A reportagem fez o contato com o secretário da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (SEMSUR) para ouvir o outro lado da história, mas as ligações não foram atendidas. O titular até chegou a retornar o contato, porém a chamada caiu logo após ser atendida. De imediato, uma nova chamada foi feita, entretanto, mais uma vez o Portal No Ar não conseguiu o objetivo.

Compartilhar } 9 Compartilhamentos

últimas notícias

+ Lidas

recomendamos

comentários

Ao comentar, o leitor concorda com nossas regras e política de privacidade. Veja aqui

O espaço de comentários do Portal no AR pode ser moderado. Não serão aceitas as seguintes mensagens:

1. que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
2. com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
3. com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;
4. com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
5. de cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
6. que caracterizem prática de spam;
7. anônimas ou assinadas com e-mail falso;
8. fora do contexto do portal.

O Portal no AR:

1. não se responsabiliza pelos comentários dos frequentadores do blog;
2. se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas Regras ou às normas legais em vigor;
3. não se responsabiliza por qualquer dano supostamente decorrente do uso deste serviço perante usuários ou quaisquer terceiros.
4. se reserva o direito de modificar as regras acima a qualquer momento, a seu exclusivo critério.