câmbio:

DÓLAR R$ 3.2226 EURO R$ 3.8194

Tempo, natal:

26°C

Geral

SENTENÇA

14/11/2017

11:11

Styvenson pede novamente desculpas à Polícia Civil após determinação judicial

Capitão tinha dito que “policial civil ganha bem para não fazer nada”

Por Geraldo Miranda

Compartilhar } 1 Compartilhamentos

O capitão da Policia Militar (PM), Styvenson Valentim, que ganhou fama e notoriedade coordenando a fiscalização da Lei Seca, sofreu uma derrota nos tribunais após enviar um áudio no whatsapp, no qual ele conversava com uma vítima de acidente e fazia duras criticas à Polícia Civil.

Na ocasião o policial afirmou que “policial civil ganha bem para não fazer nada”. Após o vazamento do áudio, a resposta foi imediata por parte do Sindicato dos Policiais Civis do Rio Grande do Norte (Sinpol-RN), que entrou com uma ação na Justiça pedindo a retratação do policial, além do pagamento de 20 salários mínimos, o que corresponde ao montante de R$ 18.740, e seria repassado a instituições de caridade.

Styvenson Valentim ainda tentou se desculpar formalmente, mas a medida não teve o efeito desejado. Porém, diante da juíza Érika de Paiva Duarte Tinôco, da 6ª Vara Cível da Comarca de Natal, o capitão fez um acordo com o Sinpol e prometeu, se desculpar publicamente mais uma vez.

Confira abaixo o pedido de desculpas do capitão Styvenson Valentim:

 “Venho, publicamente, sem constrangimento ou qualquer sentimento de vexame ou submissão pedir, mais uma vez, minhas sinceras desculpas por toda mágoa causada aos integrantes da Polícia Civil do Rio Grande do Norte, esperando, assim, com esse pedido de desculpas extirpar toda e qualquer animosidade, visando restabelecer a imagem e idoneidade da instituição e dos policiais que se sentiram ofendidos, colocando fim ao processo existente bem como retomando o trabalho em conjunto e harmonioso das partes em prol da sociedade potiguar”.

Compartilhar } 1 Compartilhamentos

últimas notícias

+ Lidas

recomendamos

comentários

Ao comentar, o leitor concorda com nossas regras e política de privacidade. Veja aqui

O espaço de comentários do Portal no AR pode ser moderado. Não serão aceitas as seguintes mensagens:

1. que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
2. com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
3. com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;
4. com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
5. de cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
6. que caracterizem prática de spam;
7. anônimas ou assinadas com e-mail falso;
8. fora do contexto do portal.

O Portal no AR:

1. não se responsabiliza pelos comentários dos frequentadores do blog;
2. se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas Regras ou às normas legais em vigor;
3. não se responsabiliza por qualquer dano supostamente decorrente do uso deste serviço perante usuários ou quaisquer terceiros.
4. se reserva o direito de modificar as regras acima a qualquer momento, a seu exclusivo critério.