câmbio:

DÓLAR R$ 3.6784 EURO R$ 4.3424

Tempo, natal:

24°C

Brasil e Mundo

SAÚDE

24/01/2018

06:48

Casos de febre amarela quadruplicam em uma semana no Brasil

Levantamento divulgado nessa terça (23) informa que foram confirmadas 130 infecções

Por Estadão Conteúdo

Compartilhar } 0 Compartilhamentos

O número de casos confirmados de febre amarela no Brasil praticamente quadruplicou em apenas uma semana. Levantamento divulgado nessa terça-feira (23) informa que de julho até agora foram confirmadas 130 infecções. Na semana passada, o boletim informava 35 infecções.

O número de mortes provocadas pela doença também avançou de forma expressiva. Até agora, são 53 óbitos, mais do que do dobro do que o contabilizado semana passada – 20 mortes. Ao todo, foram registrados 601 casos suspeitos, dos quais 162 permanecem em investigação.

São Paulo concentra a maior parte dos registros. Até agora, foram 61 pacientes com a confirmação da doença. Desse total, 21 morreram. Chama a atenção o avanço da doença em Minas, Estado que no ano passado foi duramente atingido por um surto de febre amarela. Até agora, Minas confirmou 50 casos, dos quais 24 evoluíram para óbito.

A expectativa de técnicos era a de que, neste ano houvesse uma redução de casos nas cidades mineiras, principalmente porque se imaginava que a cobertura vacinal na região havia melhorado.

Os números nacionais são bastante expressivos, mas menores do que os registrados no mesmo período do ano passado. Em 2017, até 23 de janeiro o País contabilizava 397 casos da doença, com 131 mortes. O ministro da Saúde, Ricardo Barros, voltou a afirmar hoje que a situação da febre amarela está dentro do protocolo e sob controle. Como argumento, ele cita o fato de que a circulação do vírus nesse momento ocorre em áreas muito mais populosas e, mesmo assim, os indicadores são menores que no ano passado.

Em entrevista concedida ao jornal O Estado de S. Paulo nesta segunda, 22, o ministro disse considerar “pouco provável” que o País enfrente neste ano uma epidemia nas mesmas proporções do que a registrada no ano passado. Especialistas ouvidos pela reportagem, no entanto, não apresentam a mesma convicção.

A Organização Mundial da Saúde, num comunicado também divulgado nesta segunda, alertou para o elevado risco de mudança do padrão atual de transmissão. Isso porque nas regiões onde hoje o vírus da febre amarela circula há ainda um grande número de pessoas que não foram vacinadas e, portanto, são suscetíveis à doença. Barros, contudo, afastou a possibilidade de que haja nesse momento transmissão urbana da doença.

Compartilhar } 0 Compartilhamentos

últimas notícias

+ Lidas

recomendamos

comentários

Ao comentar, o leitor concorda com nossas regras e política de privacidade. Veja aqui

O espaço de comentários do Portal no AR pode ser moderado. Não serão aceitas as seguintes mensagens:

1. que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
2. com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
3. com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;
4. com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
5. de cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
6. que caracterizem prática de spam;
7. anônimas ou assinadas com e-mail falso;
8. fora do contexto do portal.

O Portal no AR:

1. não se responsabiliza pelos comentários dos frequentadores do blog;
2. se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas Regras ou às normas legais em vigor;
3. não se responsabiliza por qualquer dano supostamente decorrente do uso deste serviço perante usuários ou quaisquer terceiros.
4. se reserva o direito de modificar as regras acima a qualquer momento, a seu exclusivo critério.