• câmbio
    dólar R$
    euro R$
  • tempo, natal/rn
    28ºc

Economia

PESQUISA

Cesta básica em Natal é a segunda mais barata das capitais

Dieese diz que preço ficou em R$ 332,21 em Natal. A mais cara é São Paulo por R$ 471,37

Por Redação

6 de dezembro de 2018 | 13:45

Imagem: EBC

O preço dos alimentos da cesta básica aumentou em 16 das 18 capitais brasileiras pesquisadas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos ( Dieese). No município de Natal, o custo do conjunto dos alimentos básicos subiu 0,70% em relação a outubro e totalizou R$ 332,21. Em comparação com as 18 capitais pesquisadas, a capital potiguar ocupou a segunda posição entre os menores preços, atrás apenas da capital baiana, Salvador.

No município de Natal, o custo do conjunto dos alimentos básicos subiu 0,70% em relação a outubro e totalizou R$ 332,21. Em comparação com as 18 capitais pesquisadas, a capital potiguar ocupou a segunda posição entre os menores preços, atrás apenas da capital baiana, Salvador. Em 12 meses, a variação foi de 1,22% e, nos 11 meses de 2018, de 0,31%.

Entre outubro e novembro de 2018, dez produtos tiveram alta: arroz agulhinha (4,74%), óleo de soja (3,24%), feijão carioquinha (2,39%), manteiga (1,97%), açúcar cristal (1,85%), pão francês (1,56%), banana (1,54%), tomate (1,07%), carne bovina de primeira (0,38%) e café em pó (0,34%). Dois produtos apresentaram redução: leite integral (-4,92%) e farinha de mandioca (-1,11%). Em 12 meses, sete itens acumularam aumentos: tomate (15,98%), leite integral (14,04%), pão francês (12,84%), arroz agulhinha (8,44%), carne bovina de primeira (1,70%), manteiga (1,04%) e óleo de soja (0,79%). Outros cinco produtos tiveram diminuição: banana (-25,00%), farinha de mandioca (-21,25%), açúcar cristal (-9,74), feijão carioquinha (-9,28%) e café em pó (-3,30%).

O trabalhador natalense cuja remuneração equivale ao salário mínimo precisou cumprir jornada de trabalho, em novembro, de 76 horas e 37 minutos e, em outubro, de 76 horas e 05 minutos. Em novembro de 2017, a jornada era de 77 horas e 04 minutos. Em novembro de 2018, o custo da cesta em Natal comprometeu 37,85% do salário mínimo líquido (após os descontos previdenciários). Em outubro, o percentual exigido era de 37,59% e, em novembro de 2017, de 38,07%.

Em 12 meses, os preços médios da cesta aumentaram em todas as cidades. As taxas oscilaram entre 1,22%, em Natal, e 15,50%, em Campo Grande. Em 2018, todas as capitais acumularam alta, com destaque para Campo Grande (14,89%), Brasília (13,44%) e Fortaleza (12,03%). Houve queda em Vitória (-2,65%) e Salvador (-0,26%). A cesta mais cara foi a de São Paulo (R$ 471,37), seguida pela de Porto Alegre (R$ 463,09), Rio de Janeiro (R$ 460,24) e Florianópolis (R$ 454,87).

Durante o ano de 2018, todas as capitais acumularam alta, com destaque para Campo Grande (14,89%), Brasília (13,44%) e Fortaleza (12,03%). De outubro a novembro deste ano, os alimentos que apresentaram alta na maior parte das capitais pesquisadas foram tomate, batata, óleo de soja, pão francês e carne bovina de primeira. Já o leite integral teve queda de preços em 16 capitais.

Com base nesses valores, o Dieese estimou em R$ 3.959,98 o salário mínimo necessário para a uma família de quatro pessoas no mês de novembro, o equivalente a 4,15 vezes o mínimo atual, de R$ 954. Em outubro, o salário mínimo foi estimado em R$ 3.783,39. O tempo médio que um trabalhador levou para adquirir os produtos da cesta básica, em novembro, foi de 91 horas e 13 minutos. Em outubro de 2018, ficou em 88 horas e 30 minutos.

RECOMENDAMOS

TEMPORADA DE FÉRIAS

Brasileiros farão 75,5 milhões de viagens domésticas

PROJETO DE LEI

Votação de PL dos transportes por app fica para 2019

AGRONEGÓCIO

Centro-Oeste, Norte e Nordeste lideram na exportação

MANIFESTAÇÃO

Motoristas de aplicativos protestam contra PL da Câmara

ACUSADO DE ASSÉDIO

João de Deus aparece pela 1ª vez após denúncias

BARRACO NA FAZENDA

Ana Paula se descontrola e joga bebida em ex-colega

EM BAIXA!

11ª temporada do 'Amor e Sexo' chega ao fim

CONHEÇA A HISTÓRIA

São Gonçalo completa 60 anos de emancipação política

comentários

ANUNCIE JÁ!

RUA DESEMBARGADOR BENÍCIO FILHO, N° 465 PETRÓPOLIS CEP: 59014-470

PABX:

2020-1200

REDAÇÃO:

2020-1200

COMERCIAL:

2020-1200

FALE CONOSCO

Nome
TELEFONE
E-MAIL