câmbio:

DÓLAR R$ EURO R$

Tempo, natal:

27°C

Economia

Nordeste

17/07/2017

13:35

Debate sobre ampla atuação da Sudene para fortalecer a Região Nordeste

O superintendente destaca que há recursos disponíveis para financiar projetos

Por Redação

Compartilhar } 0 Compartilhamentos

Ampliar a atuação da Sudene, retomando o papel que exercia no passado enquanto um órgão indutor do desenvolvimento e de articulação entre os estados do Nordeste, é determinante para o crescimento socioeconômico da região. Esse foi o tom do discurso do superintendente da Sudene, Marcelo Neves, na palestra de abertura do lançamento do Roadshow “Investimento e Desenvolvimento do Nordeste”, realizado nesta sexta-feira (14), no auditório da FIEPE. O superintendente destaca que há recursos disponíveis para financiar projetos com recursos do FDNE e defende o uso de incentivos fiscais como instrumento de desenvolvimento regional.

As empresas que se instalam na região da Sudene têm direito a incentivos fiscais, que variam entre 30% e 75% sobre o Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ), além de descontos no PIS/PASEP e Confins para aquisição de novas máquinas. A concessão de incentivos fiscais reflete na criação de postos de trabalho, destaca Marcelo Neves, com 383.631 empregos diretos criados entre 2012 e 2015 e outros 145.862, de 2016 e 2017.

“São políticas diferenciadas para reduzir as desigualdades regionais. Com investimentos e planejamento para ter crescimento econômico”, afirma Neves.

Segundo ele, as ações da autarquia não buscam apenas o crescimento do PIB, como também fortalecer todos os indicadores sociais, educação, IDH, e melhorar a infraestrutura da região. Neste sentido, ele destaca que a Nordeste Forte tem uma série de pleitos, entre eles de obras estruturantes, a ações de fomento, de desburocratização e atração de investimentos que devem, por meio da mobilização dos empresários, entrar na pauta nacional. “Precisamos repensar tudo que queremos para a região, não apenas recursos. Mas o plano de desenvolvimento regional do Nordeste”, frisa Neves.

Na palestra de abertura “Investimentos e Desenvolvimento do Nordeste”, ele relembrou a criação e da autarquia durante o Governo de Juscelino Kubitscheck, na década de 1950, que conseguiu alavancar o PIB do Nordeste de 4,5% para 16%. O crescimento se deu por meio do processo de industrialização da região com elaboração de estudos, planejamento e ações focadas em fomento, pensada de uma forma transversal.

Restruturada em 2007 após processo de desmobilização e extinção em 2001, a “nova Sudene” é uma autarquia vinculada ao Ministério da Integração Nacional, que trabalha para se reafirmar como indutor regional atuando nos nove estados do Nordeste e no norte dos estados de Minas Gerais e do Espírito Santo. “A mudança não é apenas de endereço, mas também uma restruturação interna, para que a Sudene volte a ocupar o papel que já exerceu no passado, de articulador institucional da região, de modo a trazer os atores para pensar o desenvolvimento, com estratégias e diagnósticos definidos, levando em consideração estar inserido em área de Semiárido”, afirma Marcelo Novaes.

No início de julho, foi protocolado um acordo de cooperação técnica com o PNUD para que, neste segundo semestre, o plano seja elaborado. “É preciso um alinhamento, um norte de onde queremos chegar. Onde o Nordeste quer estar e precisamos da união de todos os empresários para repensar as estratégias e incorporar a discussão nesse planejamento de ações feitas por gestores e empresários, rediscutir as obras estruturas, as linhas de crédito, os investimentos para o Nordeste”, afirma.

Compartilhar } 0 Compartilhamentos

últimas notícias

+ Lidas

recomendamos

comentários

Ao comentar, o leitor concorda com nossas regras e política de privacidade. Veja aqui

O espaço de comentários do Portal no AR pode ser moderado. Não serão aceitas as seguintes mensagens:

1. que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
2. com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
3. com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;
4. com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
5. de cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
6. que caracterizem prática de spam;
7. anônimas ou assinadas com e-mail falso;
8. fora do contexto do portal.

O Portal no AR:

1. não se responsabiliza pelos comentários dos frequentadores do blog;
2. se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas Regras ou às normas legais em vigor;
3. não se responsabiliza por qualquer dano supostamente decorrente do uso deste serviço perante usuários ou quaisquer terceiros.
4. se reserva o direito de modificar as regras acima a qualquer momento, a seu exclusivo critério.