câmbio:

DÓLAR R$ 3.7975 EURO R$ 4.4609

Tempo, natal:

26°C

Política

Operação Manus

16/05/2018

17:20

Depoimentos reforçam que não houve propinas na Arena, diz defesa de Henrique

Advogado Marcelo Leal afirmou que oitivas derrubam acusação de propina na Arena das Dunas

Por Júlio Rocha

Compartilhar } 1 Compartilhamentos

A Justiça Federal do Rio Grande do Norte retomou nesta quarta-feira, 16, os depoimentos da Operação Manus, que tem entre os réus o ex-ministro e ex-deputado federal Henrique Eduardo Alves e investiga suposto esquema de propina na construção da Arena das Dunas. Hoje foram ouvidas testemunhas de defesa, até o próximo dia 24 serão 25 pessoas ouvidas.

O advogado responsável pela defesa do ex-ministro, Marcelo Leal, comentou a reportagem do portalnoar.com.br que os depoimentos comprovariam a tese da defesa de que as acusações não procedem. “Os depoimentos mostram que Henrique não tem qualquer envolvimento com irregularidade na Arena, além do mais os depoimentos mostraram que não houve superfaturamento e sim um erro de cálculo do TCE, por ser uma Parceria-Público-Privada, qual seria o interesse da OAS em superfaturar sua dívida junto ao BNDES? Os depoimentos desmistificam a acusação”, esclarece Leal.

Segundo o advogado, a informação de que haveria superfaturamento de R$ 77 milhões, não levou em consideração os gastos necessários para a obra como a demolição do estádio João Machado, todas as exigências de infraestrutura para sediar jogos da Copa e informações técnicas prestadas pelo então secretário de Obras, Demétrio Torres e demais depoentes.

“Apesar da Arena hoje ter capacidade de 32 mil lugares, para a Copa foram 42 mil e isso não foi avaliado, além dos gastos terem sido comparados com a Arena do Grêmio que é um estádio que não foi feito para a Copa, nem contou com as mesas exigências”, destacou Leal.

 

Compartilhar } 1 Compartilhamentos

últimas notícias

+ Lidas

recomendamos

comentários

Ao comentar, o leitor concorda com nossas regras e política de privacidade. Veja aqui

O espaço de comentários do Portal no AR pode ser moderado. Não serão aceitas as seguintes mensagens:

1. que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
2. com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
3. com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;
4. com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
5. de cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
6. que caracterizem prática de spam;
7. anônimas ou assinadas com e-mail falso;
8. fora do contexto do portal.

O Portal no AR:

1. não se responsabiliza pelos comentários dos frequentadores do blog;
2. se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas Regras ou às normas legais em vigor;
3. não se responsabiliza por qualquer dano supostamente decorrente do uso deste serviço perante usuários ou quaisquer terceiros.
4. se reserva o direito de modificar as regras acima a qualquer momento, a seu exclusivo critério.