Artigo 11/01/2018 10:35

O cidadão deve se proteger contra as mentiras dos candidatos

Por Ricardo Rosado

É muito justo e oportuno que a Polícia Federal, o Supremo Tribunal Federal e o Tribunal Superior Eleitoral estejam pensando em proibir ou inibir as chamadas "fake news"durante a próxima campanha eleitoral.

Compartilhar } 2 Compartilhamentos

É muito justo e oportuno que a Polícia Federal, o Supremo Tribunal Federal e o Tribunal Superior Eleitoral estejam pensando em proibir ou inibir as chamadas “fake news” durante a próxima campanha eleitoral.

Espalhar falsas notícias, boatos, intrigas, fofocas e fuxicos deixou de ser arte de colunistas, jornalistas frívolos e dos idiotas das redes sociais.

Virou algo empresarial, profissional, bem remunerado, dissimulado, caviloso, oriundo das catacumbas fedorentas do caráter de certos personagens.

É, portanto, urgente que se tente proteger o eleitor da proliferação deste tipo de informação.

Proteger o eleitor das mentiras da campanha.

Agora, para proteger o eleitor das mentiras dos candidatos, não precisa de lei.

Caberá ao cidadão.

Compartilhar } 2 Compartilhamentos
Ricardo Rosado

Descrição Diretor do Portal No Ar e Repórter do Fatorrrh.

todos os blogs