• câmbio
    dólar R$
    euro R$
  • tempo, natal/rn
    26ºc

Geral

TRIBUNAL

Justiça do RN condena produtora de vídeo por não entregar gravação de casamento

O valor é de R$ 5 mil, acrescidos de juros e correção monetária

Por Redação

14 de novembro de 2017 | 07:43

O juiz Sérgio Augusto Dantas, da 7ª Vara Cível de Natal, condenou o proprietário de um empresa de filmagem de eventos a indenizar um casal pelos prejuízos morais suportados por eles causados pela não entrega da gravação em vídeo do casamento dos autores. O valor é de R$ 5 mil, acrescidos de juros e correção monetária.

O magistrado que julgou a demanda também condenou o empresário a pagar ao casal os gastos comprovadamente realizados por eles, no valor de R$ 500, montante também a ser acrescido de juros e correção monetária. Ele ainda condenou o réu a devolver os quatro mídias de CDs que estão em seu poder.

Os autores disseram que contrataram com o proprietário da empresa, a prestação de serviços de filmagem de seu casamento, realizado na capital paraibana. Informaram que o valor do contrato ficou em R$ 500 e que este foi lavrado pelo profissional.

Mais adiante, disseram que realizado o casamento e a recepção na data aprazada contou com a presença do responsável pelas filmagens. Todavia este, em data posterior, informou à autora que não tinha como entregar o material, pois sua filmadora teria sido roubada.

Nela, ainda segundo o réu, estariam as imagens da festa de casamento. O réu teria justificado que aguardava a realização de outro evento, para daí passar as imagens para o seu computador. Por isso, afirmam que recorrem ao Judiciário para verem pagas indenizações por danos morais e materiais.

Ao final, requereram a condenação do réu para pagar a quantia de R$ 500 a título de danos materiais; condenação ao pagamento de dano moral em valor a ser arbitrado pelo juízo, além de condenação do réu a devolver quatro Cds (mídias de imagem) que estariam em seu poder.

Quando julgou o caso, o juiz considerou o réu revel no processo, já que não apresentou contestação. Para ele, a documentação levada aos autos é suficiente a comprovar a existência da dívida e um patente desinteresse do réu em pagá-la.

RECOMENDAMOS

SHOW CATÓLICO

Festival Halleluya termina neste domingo em Natal

SÓ LUZES

Natal poderá proibir fogos de artifício com barulho

ÚLTIMO DIA

Carnatal termina hoje com Ivete,Psirico, Ricardo Chaves

POSICIONAMENTO

Bolsonaro diz que não debaterá pena de morte

SEM VENCEDOR

Mega-Sena acumula prêmio em R$ 48 milhões

SOBRE O NATAL

Hoje tem espetáculo "A Esperança" no Parque da Cidade

GOVERNO BOLSONARO

Jácome vai assumir secretaria no Ministério da Mulher

TÁ DIFÍCIL

Caixa dificulta transição com nova equipe

comentários

ANUNCIE JÁ!

RUA DESEMBARGADOR BENÍCIO FILHO, N° 465 PETRÓPOLIS CEP: 59014-470

PABX:

2020-1200

REDAÇÃO:

2020-1200

COMERCIAL:

2020-1200

FALE CONOSCO

Nome
TELEFONE
E-MAIL