câmbio:

DÓLAR R$ 3.3420 EURO R$ 3.7409

Tempo, natal:

23°C

artigo

20/03/2017

16:27

A justiça é tão cega quanto o pirata do rum Montila

Por Antônio Melo

Jornalista

 

A justiça é cega. Pelo menos de um olho, disso tenho a mais absoluta certeza. E de onde vem toda essa convicção?

Vamos aos fatos, talvez a melhor forma de explicar. A eles, portanto.

Olho bom

O procurador Delagnoll, do alto da sua função de coordenador da força-tarefa da lavajato, anunciou que ainda neste semestre sai sentença em processo do ex-presidente Lula.

Olho cego

O procurador geral da república, Rodrigo Janot, comunicou ao STF que  prescreveu a possibilidade de punir o senador Aécio Neves, por ter recebido 1 milhão de reais em propina, durante o governo FHC. O procurador estava com o processo para denunciar Aécio e o ex- governador de Alagoas, Teotônio Vilela, igualmente PSDB, dedodurados pelo ex-senador Sérgio Machado, desde 4 de outubro. Mas Janot esqueceu, coitado. Só  agora em março, voltou a se  comunicar com o STF sobre o caso. Não para apresentar denúncia, mas, infelizmente para pedir que o processo fosse arquivado.  Os dois quase réus não podem mais serem punidos. O prazo prescreveu no último dia de 2016.

Olho bom

Com base em denúncia do mesmo Sergio Machado delator, da mesma época, o ex-presidente Lula foi denunciado por Rodrigo Janot e está sendo processado pela justiça federal por tentar obstruir a justiça..

Olho bom 2

O Mensalão do PT estourou em 2005/2006. Em 2 de agosto de 2012 o STF começou a julgar os 40 réus. Destes, 38 foram condenados à prisão. O julgamento foi transmitido pela TV.

Olho cego

O Mensalão Tucano data de 1998, eleição de Eduardo Azeredo que buscava um segundo mandato como governador e perdeu para Itamar Franco. Azeredo só chegou a ser julgado 17 anos depois, 2015. Pegou 20 anos de cadeia e recorreu. Seu recurso, até hoje, nunca foi julgado. Seus companheiros de processo, Walfrido Mares Guia e Cláudio Morão, por terem mais de 70 anos são agora inimputáveis. Azeredo nunca cumpriu um dia da pena.

Olho cego 2

O doleiro Yousef já cumpriu sua pena. Livre, leve e solto vai concluir um livro que está escrevendo. Mais um prêmio pela sua brilhante carreira que começou como contrabandista, doleiro, delator, escritor. É o preço da fama, coitado.

Quem sabe não tenta a Academia Brasileira de Letras?

 

 

recomendamos

comentários

Ao comentar, o leitor concorda com nossas regras e política de privacidade. Veja aqui

O espaço de comentários do Portal no AR pode ser moderado. Não serão aceitas as seguintes mensagens:

1. que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
2. com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
3. com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;
4. com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
5. de cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
6. que caracterizem prática de spam;
7. anônimas ou assinadas com e-mail falso;
8. fora do contexto do portal.

O Portal no AR:

1. não se responsabiliza pelos comentários dos frequentadores do blog;
2. se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas Regras ou às normas legais em vigor;
3. não se responsabiliza por qualquer dano supostamente decorrente do uso deste serviço perante usuários ou quaisquer terceiros.
4. se reserva o direito de modificar as regras acima a qualquer momento, a seu exclusivo critério.