câmbio:

DÓLAR R$ 3.1460 EURO R$ 3.7006

Tempo, natal:

25°C

artigo

19/06/2017

07:14

Categoria médica

Por Dr. Geraldo Ferreira

Pres. Sinmed-RN

Mesmo às lideranças médicas mais experimentadas, muitas vezes choca a agressividade do bombardeio diário que se estampa em jornais e tvs contra a categoria médica. A tentativa infame de jogar toda uma categoria como culpada da tragédia em que se transformou a saúde pública brasileira, incapaz de cumprir adequadamente seu papel, seja no atendimento primário, especializado ou emergencial, é uma coisa criminosa.

Não há um dia onde, sem se dar ouvido ou oportunidade de defesa, médicos não sejam entregues à ira da população, em análises ferinas e mal intencionadas. Fenômeno similar foi observado na desconstrução cruel da imagem dos políticos, da polícia e até da igreja. Coisa igual veio de planos coordenados e bem definidos de destruição de instituições e categorias antes admiradas e queridas pelo povo, para que pudesse prevalecer o Estado Totalitário como senhor absoluto de cujas mãos dependeria para tudo a população.

Destruir então a categoria médica com as denúncias mais torpes, responsabilizando-a por toda crise na saúde pública, não coincidentemente um projeto em curso em todos os países dessa triste ideologia bolivariana na américa latina, é a tentativa de alijar o médico, por culto, independente, querido e respeitado, para que o projeto de poder do Estado sem competidores se fortaleça. Não nos enganemos, então, o ataque aos médicos tem objetivo, é forte e não dá sinais de que vá diminuir. Cabe ao movimento sindical e às demais entidades médicas a união, a vigilância continuada e a defesa da categoria contra a tentativa de criminalizar absurdamente, sem apelação ou defesa, o médico, por erros e falências da gestão e do Sistema de saúde.

recomendamos

comentários

Ao comentar, o leitor concorda com nossas regras e política de privacidade. Veja aqui

O espaço de comentários do Portal no AR pode ser moderado. Não serão aceitas as seguintes mensagens:

1. que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
2. com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
3. com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;
4. com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
5. de cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
6. que caracterizem prática de spam;
7. anônimas ou assinadas com e-mail falso;
8. fora do contexto do portal.

O Portal no AR:

1. não se responsabiliza pelos comentários dos frequentadores do blog;
2. se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas Regras ou às normas legais em vigor;
3. não se responsabiliza por qualquer dano supostamente decorrente do uso deste serviço perante usuários ou quaisquer terceiros.
4. se reserva o direito de modificar as regras acima a qualquer momento, a seu exclusivo critério.