câmbio:

DÓLAR R$ 3.6784 EURO R$ 4.3424

Tempo, natal:

25°C

artigo

12/01/2018

21:43

Reputações na fogueira da opinião pública

Por Antônio Melo

Jornalista

Jair Bolsonaro quer ser presidente da república falando inverdades, para usar uma palavra mais suave. Em tempos de rede sociais e vigilância, publicou na internet ter economizado exatos 1.291.395,52 reais de suas verbas de gabinete no período de 2010 a 2017. E que esse dinheiro foi devolvido aos cofres públicos.

Bolsonaro mentiu.

O jornal O Globo, edição da última quarta feira, mostra que, na verdade esse valor seria de R$ 483 mil. Ou seja: 69 mil reais por ano ou, ainda, ridículos 5750 reais por mês.

Apanhado em pleno escorregão na verdade, o deputado apontou o dedo imediatamente para sua assessoria e disse que nada tinha a ver com que foi publicado. O prestimoso assessor Jorge Oliveira, imediatamente ofereceu seu pescoço ao laço da forca da opinião pública, tentando salvar o chefe do vexame:

         -Foi responsabilidade minha –bradou garantindo já ter corrigido o erro- peço desculpas à opinião pública.

Em tempos de rede sociais é bom tomar muito cuidado com o que se diz. Tem sempre alguém disposto a checar.

E desta vez, convenhamos, O Globo fez direitinho o dever de casa.

Serra na fogueira – Quase retirado da vida pública, o senador José Serra, tucano de alta plumagem, está vendo suas penas serem arrancadas do mesmo jeito que contribuiu para a imolação de outros. Forjado na esquerda, ex-presidente da UNE, ex-exilado, economista renomado, melhor ministro da Saúde desde a redemocratização, Serra está vendo sua biografia ser consumida lenta e inexoravelmente nas chamas de denúncias de corrupção, no braseiro impiedoso das delações, nos apressados julgamentos da opinião pública.

Em depoimento à Polícia Federal, Pedro Novis que foi presidente da Odebrecht de 2002 a 2012 diz que pagou 52,4 milhões em propinas a Serra, através de caixa 2 de campanha e de outras formas pouco ortodoxas. O dinheiro teria sido em  parte entregue aqui mesmo no Brasil e outra parte no exterior, depositada em contas secretas de terceiros.

A historia e o passado de José Serra recomendam que se dê a ele a chance de se explicar. Que os dedos duros não se levantem apressados, prontos para condenar imolando mais uma reputação.

Queima de estoque – O governo já anuncia a boa nova para os parlamentares que votaram a favor da reforma da previdência: tem 10 bilhões para irrigar suas campanhas, mesmo em tempos de governo falido. Segundo os homens do presidente, se aprovada, a reforma vai permitir, já neste ano, uma economia do tamanho que a generosidade presidencial está prometendo. E que tudo isso será destinado a obras nas localidades onde suas excelências são votadas.

Segundo assessores presidenciais, essa será uma “arma eficaz” para pressionar o Congresso quando voltar do recesso.

Cala-te boca – “Em nenhum local por onde passei eu vi se cometer tanta ilegalidade quanto dentro do Ministério Público Federal”. A declaração é de Manoel Pastana, procurador regional da República com atuação no Tribunal Regional Federal da quarta região, em Porto Alegre. “O MPF fiscaliza a todos, mas não é fiscalizado por ninguém. A Procuradoria Geral da República

tem poderes absolutos, o que estimula o cometimento de ilegalidades”, comenta Pastana em entrevista a revista Press.

Não seria o caso de uma delaçãozinha premiada do senhor Pastana?

Inflação – Em tempos de inflação baixíssima a gasolina subiu já na primeira semana do ano. De novo. As mensalidades escolares, também. A renovação de registro de automóveis no Detran-Rn, mais de 50% de aumento. Tudo acima da inflação baixinha, nunca é demais repetir. Agora, é aguardar os preços do material didático. Com essa inflação, deve baixar.

recomendamos

comentários

Ao comentar, o leitor concorda com nossas regras e política de privacidade. Veja aqui

O espaço de comentários do Portal no AR pode ser moderado. Não serão aceitas as seguintes mensagens:

1. que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
2. com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
3. com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;
4. com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
5. de cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
6. que caracterizem prática de spam;
7. anônimas ou assinadas com e-mail falso;
8. fora do contexto do portal.

O Portal no AR:

1. não se responsabiliza pelos comentários dos frequentadores do blog;
2. se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas Regras ou às normas legais em vigor;
3. não se responsabiliza por qualquer dano supostamente decorrente do uso deste serviço perante usuários ou quaisquer terceiros.
4. se reserva o direito de modificar as regras acima a qualquer momento, a seu exclusivo critério.