câmbio:

DÓLAR R$ 3.1921 EURO R$ 3.7618

Tempo, natal:

25°C

Geral

SOLIDARIEDADE EM BARAÚNA

05/04/2017

14:35

Padre do interior do RN destina dízimo à construção de casa para família carente

De acordo com administrador paroquial, casa tem o mínimo de condições de abrigar família

Por Ayrton Freire

Família vivi em uma "lona segurada por paus" (Foto: Reprodução/Facebook/Deivid Franklin)

Compartilhar } 98 Compartilhamentos

Aos 29 anos, o jovem padre Deivid Franklin encara o maior desafio da ainda novata carreira vocacional. O administrador da Paróquia de Nossa Senhora das Graças, de Baraúna, no Oeste Potiguar, se comoveu com a história de uma família que mora em um barraco, e agora trabalha na construção de uma casa. Para isto, pôs até o dízimo à disposição.

A história teve início no último domingo (2), e é narrada ao Portal No Ar pelo próprio sacerdote. “Fui cumprir minha missão de visitar os fiéis e celebrar a missa em Santa Maria, uma comunidade muito distante da cidade. Levei, junto com religiosos, cestas básicas para distribuição, e ao chegar naquela casa percebemos que ela está caindo. Não tem o mínimo de condições de abrigar aquelas seis pessoas”.

O imóvel abriga a família de um casal, identificados pelo padre como Verônico e Altaniza, com os três filhos, ainda crianças, e também pela mãe da genitora. Comovido, o administrador paroquial decidiu contar a história na internet e, assim, iniciar uma campanha para melhorar a vida daqueles paroquianos.

“Decidi botar na internet, não para fazer sensacionalismo. Não precisa disso. Mas para que tivesse alcance. Um compartilhou aqui e acolá, e muita gente entrou em contato para ajudar. Ontem (4), voltei lá (na casa) e levei dois engenheiros que se comprometeram a fazer o projeto da residência”, destacou.

“Situação triste”

Padre Deivid nem consegue descrever a casa para a reportagem. “É uma lona segurada por paus. Ayrton, você vê a foto no Facebook, mas quando se depara pessoalmente tem um choque mais forte. É uma situação muito triste”, descreveu o presbítero.

A situação é confirmada pelo seminarista Daelson Soares, que auxilia o padre nos trabalhos pastorais, e que estava no momento da visita.

“É desumano. Nem posso chamar de casa. Qualquer curral é melhor do que aquilo, mas eles estão lá, pois não têm para onde ir. Eu acho que era uma casa de taipa, que foi caindo aos poucos”, comentou o seminarista revelando que a família vive do aposento de Verônico.

Como ajudar

“Não tenho como resolver tudo, mas posso convocar as pessoas”. Com esse argumento, padre Deivid tem chamado fieis e pessoas sensíveis à situação a ajudar a causa. O primeiro exemplo partiu da própria paróquia de Baraúna: “Vou destinar uma porcentagem do nosso dízimo para também colaborar neste projeto”, revelou.

O sacerdote que assumiu a primeira paróquia de sua vida eclesiástica em janeiro já utiliza o dízimo da igreja para a aquisição de cestas básicas. Para se formarem, estas se aliam aos alimentos doados pelos paroquianos em outro projeto desenvolvido por Deivid. “A Missa da Solidariedade, que celebramos todo mês”, contou. Estes sacolões levaram a igreja até a casa da família beneficiada pela campanha.

Além disso, o presbítero conseguiu abrir uma conta bancária para que interessados em participar da campanha possam fazer suas doações. “Consegui abrir uma conta específica. Não queria colocar a minha pessoal nem a da paróquia, para não confundir as coisas”, comentou.

Ajude

Banco do Brasil
Agência: 2828-2
Conta Corrente: 17.991-4

 

Compartilhar } 98 Compartilhamentos

últimas notícias

+ Lidas

recomendamos

comentários

Ao comentar, o leitor concorda com nossas regras e política de privacidade. Veja aqui

O espaço de comentários do Portal no AR pode ser moderado. Não serão aceitas as seguintes mensagens:

1. que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
2. com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
3. com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;
4. com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
5. de cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
6. que caracterizem prática de spam;
7. anônimas ou assinadas com e-mail falso;
8. fora do contexto do portal.

O Portal no AR:

1. não se responsabiliza pelos comentários dos frequentadores do blog;
2. se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas Regras ou às normas legais em vigor;
3. não se responsabiliza por qualquer dano supostamente decorrente do uso deste serviço perante usuários ou quaisquer terceiros.
4. se reserva o direito de modificar as regras acima a qualquer momento, a seu exclusivo critério.