câmbio:

DÓLAR R$ 3.3420 EURO R$ 3.7402

Tempo, natal:

Partly Cloudy 24°C

Economia

Indústria

20/04/2017

14:46

Prefeitura de Mossoró defende reabertura da Porcelanatti

Intuito é retomar a produção, gerando cerca de 1.500 empregos diretos e indiretos

Por Redação

Compartilhar } 0 Compartilhamentos

O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Agricultura e Turismo, Lahyre Rosado Neto, participou na manhã desta quinta-feira (20) de audiência pública na Câmara Municipal de Mossoró em que se discutiu a situação da empresa Porcelanatti, indústria de cerâmica que se encontra em processo de recuperação judicial.

A audiência foi uma preposição do vereador Alex Moacir, líder do governo na Câmara, e teve o objetivo principal de tentar encontrar uma solução para o pagamento de dívidas com ex-funcionários da empresa.

Lahyre Rosado destacou que o desejo do município é a reabertura da empresa para que novos postos de trabalho possam ser gerados. “Na situação atual não podemos perder um único emprego. A vontade da prefeita Rosalba Ciarlini é que a Porcelanatti reabra o quanto antes”, informou.

O secretário cobrou prazos e observou que outras medidas serão adotadas se a reabertura da Porcelanatti não se concretizar em prazo razoável. “Não podemos ficar esperando a vida inteira. Já existe um processo em andamento de reversão do terreno para o município, que pode ser suspenso em caso de retomada da produção”, acrescentou.

O Gerente de Reestruturação do Grupo Itagrês, a qual pertence à Porcelanatti, Sidney Souza, participou da audiência e informou que a empresa tem até o próximo dia 08 de maio para apresentar um plano de pagamento dos seus credores, incluindo trabalhadores, dentro do processo de recuperação judicial aprovado em março passado.

O representante da empresa acrescentou que o intuito é retomar a produção, gerando cerca de 1.500 empregos diretos e indiretos e aproveitando a mão de obra treinada pela própria Porcelanatti em Mossoró. “O nosso prazo para retomar a produção é janeiro de 2019, mas estamos trabalhando para tentar antecipar para 2018”, informou.

O vereador Alex Moacir analisou que a audiência foi importante para “esclarecer alguns pontos”, mas atentou que, pelas informações repassadas pela empresa, haverá uma grande demanda de tempo tanto para o pagamento das dívidas trabalhistas quanto para a reabertura da fábrica.
A audiência também contou com participação dos vereadores Rondinele Carlos, Genilson Alves, Aline Couto, Maria das Malhas, Raério Cabeção, Tony Cabelos, Mozaniel Mesquita, Emílio Ferreira e Izabel Montenegro (presidente da Câmara); vice-presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Mossoró, Wellington Fernandes; presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Cerâmicas do Estado do Rio Grande do Norte, Cícero Luiz Dantas Medeiros; presidente da Associação dos Ex-funcionários da Porcelanatti, José Ronaldo da Silva; além de ex-trabalhadores da empresa.

Compartilhar } 0 Compartilhamentos

últimas notícias

+ Lidas

recomendamos

comentários

Ao comentar, o leitor concorda com nossas regras e política de privacidade. Veja aqui

O espaço de comentários do Portal no AR pode ser moderado. Não serão aceitas as seguintes mensagens:

1. que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
2. com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
3. com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;
4. com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
5. de cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
6. que caracterizem prática de spam;
7. anônimas ou assinadas com e-mail falso;
8. fora do contexto do portal.

O Portal no AR:

1. não se responsabiliza pelos comentários dos frequentadores do blog;
2. se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas Regras ou às normas legais em vigor;
3. não se responsabiliza por qualquer dano supostamente decorrente do uso deste serviço perante usuários ou quaisquer terceiros.
4. se reserva o direito de modificar as regras acima a qualquer momento, a seu exclusivo critério.