câmbio:

DÓLAR R$ 3.1638 EURO R$ 3.7183

Tempo, natal:

23°C

Esportes

25/03/2014

17:55

Secretário de Segurança ignora levantamento sobre violência em Natal

Por asmerdasqueeupenso

Compartilhar } 0 Compartilhamentos

Secretário tomou posse nesta sexta-feira, mas não quer falar sobre imprensa (Foto: Alberto Leandro)

Secretário tomou posse nesta sexta-feira, mas ainda não quer falar com a imprensa (Foto: Alberto Leandro)

O novo secretário de Segurança Pública Eliéser Monteiro, empossado no cargo desde sexta-feira (20), não quis comentar publicamente o levantamento divulgado  hoje  no site do canal esportivo  ESPN que afirma que os estados nordestinos foram ágeis em construir arenas mas incompetentes em deter o crescimento  da violência.

A assessoria de comunicação da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Sesed) informou que o secretário “não se pronunciará sobre este ou qualquer outro tema, até tomar ciência com mais profundidade de todos os assuntos que envolvem a segurança pública do RN”.

De acordo com o levantamento  da ESPN com exceção de Recife, os  demais estados da região não fizeram o dever de casa para aproveitar a competição e deixar um legado de segurança para seus habitantes.

A ponto de fazer a África do Sul, sede do Mundial em 2010 e tão “temida” por sua violência que impressionava pelas ruas desertas à noite, um “oásis” de segurança quando comparado com os índices atuais de violência de Fortaleza, Natal e Salvador.

Em 2010, ano do Mundial naquele país, as quatro cidades mais violentas do país ficavam longe dos números de Fortaleza. A cidade mais perigosa era a Cidade do Cabo, com 46,2 homicídios para 100.000 habitantes. Em Port Elizabeth o índice era de 45,5, caia para 36,9 em Durban e despencava para 30,6 em Joanesburgo.

Homicídios

Em Natal, foram 66,6 assassinatos para cada 100 mil habitantes em 2013. Em Salvador, foram 47. Fora do Nordeste, destaque negativo para Manaus, com o índice de 42,5.

O ESPN.com.br tabulou os dados de homicídios de 2013, fornecidos por órgão de segurança pública, nas cidades da Copa. Depois, listou a população das cidades pela projeções do IBGE. Então calculou o índice de assassinatos por 100.000 habitantes, a medida padrão internacional para atestar o quanto uma cidade é violenta.

E os números brasileiros são alarmantes e muito próximos aos divulgados pela ONG mexicana Conselho Cidadão para a Segurança Pública, que todo ano faz um ranking com as 50 cidades mais violentas no mundo. Na última lista aparecem 16 cidades brasileiras, incluindo sete sedes da Copa do Mundo.

O caso mais alarmante é o de Fortaleza, sede de jogos importantes do Mundial, incluindo possivelmente dois da seleção brasileira. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Ceará, a cidade teve no ano passado 2.017 homicídios. Isso significa uma taxa de 79 assassinatos para um grupo de 100 mil habitantes.

A comparação com o que acontecia em 2007, quando o Brasil foi escolhido para sediar a Copa, é prova que algumas sedes do evento não se prepararam para ficarem mais seguras.

De acordo com o Mapa da Violência, a mais completa publicação sobre segurança no Brasil, o número de assassinatos naquele ano era muito menor do que o registrado em 2013 em boa parte das cidades da Copa.

Em 2007, Natal teve 28,3 homicídios para cada 100 mil habitantes, número que mais do que dobrou no ano passado. Em Fortaleza, o número de mortes violentas praticamente dobrou. Em Salvador teve uma leve subida.

Exceção nordestina é o Recife. Em 2007, a capital pernambucana teve 87,5 homicídios para 100.000 habitantes. No ano passado, sua taxa despencou para 28,3, mas ainda assim bem próxima do que acontecia na “temida Joanesburgo” em 2010.

 

 

Compartilhar } 0 Compartilhamentos

últimas notícias

+ Lidas

recomendamos

comentários

Ao comentar, o leitor concorda com nossas regras e política de privacidade. Veja aqui

O espaço de comentários do Portal no AR pode ser moderado. Não serão aceitas as seguintes mensagens:

1. que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
2. com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
3. com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;
4. com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
5. de cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
6. que caracterizem prática de spam;
7. anônimas ou assinadas com e-mail falso;
8. fora do contexto do portal.

O Portal no AR:

1. não se responsabiliza pelos comentários dos frequentadores do blog;
2. se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas Regras ou às normas legais em vigor;
3. não se responsabiliza por qualquer dano supostamente decorrente do uso deste serviço perante usuários ou quaisquer terceiros.
4. se reserva o direito de modificar as regras acima a qualquer momento, a seu exclusivo critério.