Política

ELEIÇÕES 2018

TSE proíbe apoiador impulsionar anúncio de candidato na internet

Justiça entende que não teria como analisar na prestação de contas

Por Felipe Pontes / Agência Brasil

13 de setembro de 2018 | 14:57

Pela primeira vez, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aplicou hoje (13) a regra segundo a qual apoiadores não podem pagar por propaganda para candidatos na internet, em especial na forma de impulsionamento de conteúdo.

A norma, que consta da resolução sobre propaganda eleitoral, foi aplicada em um caso em que um empresário pagou para impulsionar no Facebook um conteúdo favorável a Jair Bolsonaro, candidato do PSL à Presidência da República.

“A lei estabelece que pessoa física não pode fazer por motivo simples, seria impossível analisar na prestação de contas, geraria problemas”, afirmou o relator, ministro Luís Felipe Salomão. Ele determinou multa de R$ 10 mil por dia em caso de reincidência.

Todos os demais ministros do TSE o acompanharam.

Salomão decidiu não sancionar o Facebook, pois a empresa retirou do ar o conteúdo assim que foi solicitada. O ministro também entendeu não haver provas de que Bolsonaro tinha conhecimento do ato, motivo pelo qual eximiu o candidato de responsabilidade.

RECOMENDAMOS

TRAGÉDIA

Explosão em duto mata 66 no México

DOMINGO NO PARQUE

Veja as atrações do fim de semana no Parque das Dunas

PLANOS

Governo propõe consórcios de saúde com prefeituras

LUTO

Narrador esportivo Hélio Câmara morre em Natal

POLÍTICA

Previdência: reforma vai ao Congresso em fevereiro

LUTO

Morre fundador do grupo O Rappa, Marcelo Yuka

FUTEBOL

Amistoso Brasil e República Tcheca será dia 26 de março

PREVENÇÃO

"Praia Segura" orienta sobre riscos de afogamento

comentários

ANUNCIE JÁ!

RUA DESEMBARGADOR BENÍCIO FILHO, N° 465 PETRÓPOLIS CEP: 59014-470

PABX:

2020-1200

REDAÇÃO:

2020-1200

COMERCIAL:

2020-1200

FALE CONOSCO

Nome
TELEFONE
E-MAIL