câmbio:

DÓLAR R$ 3.3420 EURO R$ 3.7402

Tempo, natal:

Partly Cloudy 24°C

Brasil e Mundo

23/06/2015

10:10

Unidades de internação para jovens têm superlotação em 17 Estados

Por f5fitness

Compartilhar } 0 Compartilhamentos

No Brasil, 17 Estados apresentam superlotação em unidades de internação de adolescentes em conflito com lei, segundo a Comissão de Infância e Juventude do Conselho Nacional do Ministério Público (CIJ-CNMP). Dados divulgados na segunda-feira 22, mostram que o sistema, que tem 18.072 vagas, abriga atualmente 21.823 jovens. A pior situação é a do Maranhão, onde a superlotação supera 800%. No Sudeste, o Espírito Santo tem o pior índice (128,9%). Em São Paulo o porcentual é de 108,6%.

As informações presentes no relatório foram coletadas por promotores de Justiça entre 2013 e 2014 em 317 estabelecimentos de internação e 117 de semiliberdade. Nas inspeções são fiscalizados aspectos como as instalações físicas, gestão de recursos humanos e o atendimento sociofamiliar.

De acordo com o documento, 70% das unidades de internação visitadas no Centro-Oeste e Norte apresentam condições insalubres para os internos, com higiene precária e sem iluminação e ventilação adequadas em todos os ambientes. O Sudeste, em contrapartida, apresenta o maior porcentual (77,8%) de unidades que oferecem melhores condições aos adolescentes.

Também com exceção do Sudeste, não há espaços adequados para profissionalização dos jovens e para a prática de esportes, cultura e lazer em grande parte das unidades analisadas nas demais regiões brasileiras.

Egressos

Não há acompanhamento de egressos e suas famílias em 82% dos estabelecimentos de internação do País. A pior situação está no Centro-Oeste, com 96% das unidades sem ações do tipo. Em seguida vem o Nordeste, onde esse índice atinge 85,4%. O Sudeste ocupa a terceira posição (83,5%), seguido pelo Sul (75,6%) e Norte (70 7%). Os programas de semiliberdade apresentam índices melhores, embora ainda não satisfatórios.

Também há pouca ação no fomento à inserção do egresso na rede regular de ensino. Novamente, o Centro-Oeste tem o pior índice. Lá, apenas 40% dos estabelecimentos apresentam iniciativas nesse sentido.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Compartilhar } 0 Compartilhamentos

últimas notícias

+ Lidas

recomendamos

comentários

Ao comentar, o leitor concorda com nossas regras e política de privacidade. Veja aqui

O espaço de comentários do Portal no AR pode ser moderado. Não serão aceitas as seguintes mensagens:

1. que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
2. com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
3. com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;
4. com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
5. de cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
6. que caracterizem prática de spam;
7. anônimas ou assinadas com e-mail falso;
8. fora do contexto do portal.

O Portal no AR:

1. não se responsabiliza pelos comentários dos frequentadores do blog;
2. se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas Regras ou às normas legais em vigor;
3. não se responsabiliza por qualquer dano supostamente decorrente do uso deste serviço perante usuários ou quaisquer terceiros.
4. se reserva o direito de modificar as regras acima a qualquer momento, a seu exclusivo critério.