Política

EM TEMPO

Após desabamentos em Mãe Luíza e interdições no Jacó, Natal discute criação de fundo contra desastres

Projeto de Lei foi protocolado na Câmara Municipal e estabelece política de proteção

Por Redação

16 de abril de 2019 | 09:14

Todo ano a situação se repete, basta chegar o período de chuvas intensas que começam a se multiplicar os casos de desabamentos de casas, alagamentos de ruas e outros problemas que ocorrem com as populações das áreas em potencial de risco na capital potiguar.

Nessa segunda-feira, 15, a vereadora Divaneide Basílio (PT) protocolou, na Câmara Municipal, um Projeto de Lei que promete avançar na tratativa desses problemas. A proposta visa estabelecer uma política de contingência, proteção e defesa civil que inclui a criação de um Fundo Especial, um Conselho Municipal e o Plano para Redução de Riscos em Natal.

O texto apresentado foi elaborado com auxílio de grupos de pesquisas da UFRN, moradores das áreas em situações de vulnerabilidade, a Defensoria e o Ministério Públicos e prevê a realização de ações municipais de prevenção e redução de desastres. A medida cria uma fonte específica de recursos no sentido de viabilizar obras de contenção, limpeza de encostas, infraestrutura de segurança e construção e reconstrução de imóveis danificados, além de outras medidas.

Segundo Divaneide Basílio, presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara de Vereadores de Natal e propositora da Lei, existe uma omissão histórica do Poder Público em relação às políticas de qualificação de segurança na capital potiguar. Os desastres de Mãe Luíza, em 2014, e o impasse das desapropriação das famílias da comunidade do Jacó, este ano, são o resultado desse descaso. “É um erro colocar a culpa dos desastres só na intensidade da chuva. Quando a Prefeitura deixa de cuidar das pessoas e do local onde elas vivem, ela é responsável”, explica. “Nosso projeto é uma forma de garantir que o poder Poder Público tenha instrumentos para atuar antes, durante e depois das tragédias”, completa a vereadora.

O PL segue a Lei Federal 12.608/2012 que institui a Política Nacional de Proteção e Defesa Civil e determina que a união, estados e municípios adotem as medidas necessárias à redução de desastres. Em Natal, ainda não existe um plano de emergência para esses casos e a promessa da Prefeitura é que o debate seja posto em dia durante a revisão do Plano Diretor que acontecerá ainda em 2019.

RECOMENDAMOS

LAMENTÁVEL

Ex-assistente mirim de Raul Gil morre aos 17 anos

PRODUTO INTERNO BRUTO

Projeção de expansão da economia cai pela oitava vez

MANIFESTAÇÃO

Policiais e bombeiros realizarão protesto nesta terça

PREOCUPAÇÃO

Chuva deixa outra ponte no interior sob risco de cair

ACIDENTE ANIMAL

Motoboy atropela jumento e os dois ficam feridos

TRAGÉDIA

Incêndio na Notre-Dame completa uma semana

NOVA GESTÃO

Humorista vence eleição presidencial na Ucrânia

TERROR

Número de mortos em ataques no Sri Lanka sobe para 290

comentários