Economia

TAXA ANUAL DE JUROS

Brasil fica em último lugar no ranking de custo de capital, diz boletim da CNI

País tem a mais alta taxa de juros reais e o maior spread em relação aos seus principais competidores internacionais.

Por Redação

8 de julho de 2019 | 15:32

Foto: Arquivo/Portal No Ar

O Brasil está em último lugar no ranking da disponibilidade e custo de capital, que é um dos fatores determinantes da competitividade de um país. O ranking da disponibilidade e custo de capital, com dados de 2018, os últimos disponíveis, está na primeira edição do boletim Competitividade em Foco, elaborado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). A publicação compara o Brasil com 17 países de economia similar à brasileira: Argentina, Austrália, Canadá, Chile, China, Colômbia, Espanha, Indonésia, Índia, Coreia do Sul, México, Peru, Polônia, Rússia, Tailândia, Turquia e África do Sul.

 

Foto: Divulgação/CNI

 

“Mesmo com a recente queda nos juros, a situação não mudou. O Brasil mantém uma distância muito grande de seus principais competidores na questão custo de capital”, afirma o gerente-executivo de Política Econômica da CNI, Flávio Castelo Branco. “É preciso reduzir essa distância, ampliando as fontes e reduzindo o custo dos financiamentos”, completa Castelo Branco.

De acordo com os últimos dados disponíveis, o Brasil tem a mais alta taxa de juros real de curto prazo entre os 18 países avaliados. Naquele ano, a taxa anual real de juros de curto prazo do Brasil era de 8,8% ao ano, 68% acima dos 5,2% ao ano cobrados na Rússia, que está na 17ª colocação. O primeiro lugar a lista é da Espanha, onde a taxa real de juros era negativa, de 2,2. No Canadá (2º lugar), na Coreia do Sul (3º lugar), na Austrália (4º lugar) e na Polônia (5º lugar) a taxa de juros real também era negativa.

SPREAD – Além disso, o Brasil tem o spread da taxa de juros (diferença entre as taxas de captação e as cobradas nos empréstimos bancários) mais alto do que nos seus principais competidores. Em 2018, o spread no Brasil era 32,2 pontos percentuais, mais do que o dobro dos 11,9 pontos percentuais do Peru, que está em penúltimo lugar neste quesito. O primeiro lugar do ranking do spread é da Índia, com 0,5 ponto percentual. Em segundo lugar na lista, aparece a Coreia do Sul, com 1,6 ponto percentual, e, em terceiro, a Espanha, com spread de 1,9 ponto percentual.

“O alto custo do financiamento no Brasil reduz o investimento e também eleva o custo operacional das empresas, que dependem de capital de giro para equacionar a diferença entre os tempos de pagamento dos custos e recebimento das receitas de vendas”, diz o boletim. “O investimento é essencial para o crescimento do país, pois permite a incorporação de novas tecnologias e promove o aumento da produtividade”, completa o Competitividade em Foco.

O boletim mensal, que é feito com base no estudo anual Competitividade Brasil 2018-2019, é uma contribuição da indústria para o debate sobre as condições do Brasil em competir com economias similares nos mercados interno e externo.

RECOMENDAMOS

LUTO

Ex-piloto de Stock Car morre após acidente aéreo no NE

BANG BANG

Homens são mortos pela PM após série de assaltos na ZN

CASOS DE POLÍCIA

Condenado homem que tentou matar irmão por cerveja

CONGRESSO

Senado pode concluir votação da PEC Paralela à Reforma

PODER

RN será governado pelo vice de Fátima até 4 de dezembro

MEIO AMBIENTE

Em 78 dias, óleo avança e desafia investigação

POLÍCIA CIVIL

Protesto deixa RN com um delegado para 38 cidades

Wordpress Post 1573831158 9739866

comentários