Política

EXTRAORDINÁRIA

Câmara começa votar Lei que beneficia microempresas

Projeto continuará sendo votado na próxima semana

Por Redação

13 de junho de 2019 | 18:00

Sessão extraordinária de votação do projeto da microempresa. Foto: Marcelo Barroso

Em sessão extraordinária, nesta quinta-feira (13), a Câmara Municipal de Natal deu início à votação em segunda discussão ao Projeto de Lei Complementar 001/2018, do Chefe do Executivo Municipal, que institui o tratamento diferenciado e favorecido às microempresas e empresas de pequeno porte, aos microempreendedores individuais e empreendimentos econômico solidários, revogando a Lei Municipal nº 6.025/2009 e alterando a Lei Complementar nº 055/2004 (Código de Obras), bem como a Lei nº 4.885/1997 (que trata do Relatório de Impacto sobre o Tráfego Urbano – RITUR).

“O Projeto é muito importante para o segmento dos microempreendedores, mas para que ele não prejudique a economia informal foram feitos acordos e iniciamos a votação com as emendas consensuais e em seguida debateremos as não consensuais. Eu acredito que no final aprovaremos um Projeto que contemplará a todos”, afirmou o presidente da Câmara Municipal, vereador Paulinho Freire (PSDB).

O Projeto de Lei visa desburocratizar o atendimento às micros e pequenas empresas na capital. Segundo o líder do governo, vereador Kleber Fernandes (PDT), a aprovação do Projeto vai criar um ambiente favorável ao desenvolvimento de negócios de pequeno porte. “Além da desburocratização, o Projeto de Lei vai proporcionar celeridade nas ações administrativas para fomentar o empreendedorismo, garantir um clima favorável a quem quer ter um comércio formal, legal e amparado por todos os requisitos formais que o poder público exige”, explicou Kleber Fernandes.

O superintendente do SEBRAE RN, José Ferreira de Melo Neto, Zeca Melo, comentou que o Projeto é includente. “A nova legislação vai atender cerca de 35 mil microempreendedores individuais, aqueles empresários que possuem pelo menos um empregado e que faturam até 80 mil reais por mês, portanto é uma lei includente”, afirmou. Zeca Melo ainda acrescentou que com a aprovação do Projeto será criada também a educação empreendedora nas escolas da cidade, uma política de compras que inclui o pequeno empreendedor, que vai poder vender e emitir nota fiscal.

O vereador Fernando Lucena (PT) destacou que o Projeto pode prejudicar os comerciantes informais. “Uma ART (Anotação de Responsabilidade Técnica) custa mil e quinhentos reais. Para poder se cadastrar na Prefeitura é preciso ter uma ART. Nem todo ambulante, por exemplo, aquele que vende picolé na rua, vai ter esse dinheiro. É um Projeto que, se for aprovado do jeito que os empresários querem, tira o camelô das ruas de Natal”, disse Lucena. A votação das emendas do Projeto de Lei Complementar 001/2018 seguirá na próxima terça-feira, 18.

RECOMENDAMOS

TROCA DE TIROS

Vítima e suspeito ficam baleados em tentativa de assalt

PESQUISA

Pesquisa da UFRN está avaliando dores no ombro

AÇÃO POLICIAL

Bandido morre após troca de tiros com a PM

PROGRAMAÇÃO

Mundo Senai atrai grande público em Mossoró

AVALIAÇÃO

Gastos públicos com juros devem cair quase R$ 100 bi

TECNOLOGIA NA EDUCAÇÃO

RN combate evasão escolar com Inteligência Artificial

SOM SEM PLUGS

Campanha arrecada instrumentos musicais para projeto

LUTA PELA VIDA

Esposa de Gugu desmaia ao saber da gravidade do caso

comentários