Política

APROVADO

Comissão da Câmara aprova projeto para segurança de clientes

Colegiado da Câmara de Natal manteve vetos do Executivo

Por Redação

13 de maio de 2019 | 17:08

Comissão de Justiça da Câmara Municipal de Natal. Foto: Marcelo Barroso

A Comissão de Legislação, Justiça e Redação Final da Câmara Municipal de Natal aprovou em reunião na manhã desta segunda-feira (13), dentre outros, um projeto de Lei que obriga empresas de serviços em domicílio a identificar e informar, antecipadamente, aos clientes, qual funcionário irá realizar o serviço.

“Esse projeto é de nossa autoria e visa garantir segurança dos consumidores da cidade. Inúmeras pessoas passaram por problemas com a violência de gente que se passava por funcionários de empresas. É uma medida simples, que não interfere na iniciativa privada, apenas pede que informem aos clientes”, disse o vereador Kleber Fernandes (PDT).

Além deste, foram aprovados outros projetos, como o de autoria de Nina Souza (PDT), que institui a criação de um banco de ração e utensílios para captar e promover a distribuição para animais e o do vereador Preto Aquino (PATRIOTA) que exige a divulgação no Diário Oficial do calendário anual de fiscalização em shoppings e centros comerciais para concessão de alvará de funcionamento. “Queremos que assim como acontece com o pequeno empresário, pequeno comércio, também se saiba como está se procedendo com os grandes empreendimentos”, justificou o autor.

Vetos

A comissão rejeitou projeto que isentava imposto a novas modalidades de serviço do que as já previstas em lei para o programa Operação Urbana Ribeira e decidiu manter vetos do Executivo ao projeto da vereadora Júlia Arruda (PDT), que pedia a criação grupo reflexivo de homens autores de violência doméstica e ao da ex-vereadora Natália Bonavides (PT), que cobrava a divulgação das convocações de pautas dos conselhos municipais.

Outro veto mantido foi ao projeto que determinava a adoção do hino da cidade para toque de entrada e saída nas escolas. “Era um projeto aprovado por unanimidade e discutido com esta Casa. O desconhecimento do hino é enorme. Criaria identidade com a cidade apenas modificando o toque da sirene. Contávamos com a sensibilidade do poder municipal, mas houve o veto e a comissão entendeu por manter”, declarou a vereadora Ana Paula (PSDC), autora do projeto. A vereadora Nina Souza e os vereadores Sueldo Medeiros (PHS) e Fulvio (SD) também participaram da reunião.

RECOMENDAMOS

COMEMORAÇÃO

Aniversário de São Miguel tem bolo de 26 metros

MISSÃO APOLLO 11

Evento celebra os 50 anos da chegada do homem à lua

PALESTRA

Rogério Marinho vai falar sobre Previdência em Natal

PAGAMENTOS

Abono do PIS/Pasep começa a ser pago na próxima quinta

PRISÃO PREVENTIVA

MPCE pede prisão de médico que abusou de pacientes

MAIS PRA FRENTE

Liberação do FGTS é adiada, afirma Lorenzoni

SEGURANÇA

Polícia vai reforçar fiscalização nas rodovias do RN

SÃO JOÃO

"Festa do Sabugo" começa hoje em Parnamirim

comentários