Economia

MAIS BARATO

🔊 Custo da cesta básica cai 4,02% em Natal

Capital do RN teve segunda queda mais significativa do País

Por Redação

20 de agosto de 2019 | 11:41

Foto: Divulgação

APERTE O ‘PLAY’ E OUÇA A REPORTAGEM: 

Em julho de 2019, o preço da cesta básica caiu em todas as capitais brasileiras, de acordo com a pesquisa realizada mensalmente pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). A segunda queda mais significativa no país aconteceu em Natal (-4,02%), que apresentou o valor médio da cesta básica de R$ 381,27. Entre junho e julho deste ano, em todo Brasil, houve tendência de diminuição nos valores do feijão, do tomate, da banana e do óleo de soja, segundo o levantamento.

“O preço da cesta básica é um importante indicativo do custo de vida da região, da interferência na variação da inflação e das despesas do orçamento doméstico familiar. Em média, a alimentação representa entre 40% e 45% dos custos da manutenção familiar”, explica o professor de Cenários Econômicos do Centro Universitário Internacional Uninter, Cleverson Pereira.

Uma análise mais apurada mostra, porém, que os cidadãos estão pagando mais para se alimentar em 2019. A pesquisa indica que em 12 meses, entre julho de 2018 e julho de 2019, todas a capitais registraram alta na cesta básica. Em Natal, a valorização foi de 11,78%.

“Mesmo com a inflação do país controlada, esse acompanhamento mensal deve ser observado atentamente para que os gastos não saiam do controle no orçamento familiar. A alta do preço de um item de tamanha importância representa a necessidade de uma renda maior, para que não seja reduzido o poder de compra e as outras necessidades para se viver”, destaca o professor.

O professor dá algumas dicas para economizar:

– Pesquisar sempre pesquisar o preço dos produtos antes das compras e aproveitar as promoções dos supermercados;

– Evitar desperdícios e comprar somente a quantidade necessária;

– Produtos-chave, como açúcar, arroz e feijão, podem ser comprados em quantidades maiores no atacado, onde o custo-benefício é mais favorável;

– Procurar locais com opções mais baratas. Por exemplo, comprar frutas e verduras em sacolões, e carnes em açougues.

O levantamento mostrou também que em todo país, no mês de julho, o tempo médio necessário para se adquirir os produtos da cesta básica totalizou 94 horas e 25 minutos, abaixo das 96 horas e 57 minutos de junho.

RECOMENDAMOS

ALERTA

Arboviroses: Sesap reforça orientação aos municípios

MAIS ORGANIZAÇÃO

Evento leva dicas de organização para shopping em Natal

ATUALIZAÇÃO

Governo atualiza cadastro e preocupa produtores rurais

MAIS VOOS

Azul Viagens anuncia um aumento de voos para Natal

DESESPERO

Yudi fica na mão de bandidos em assalto

SANÇÃO PRESIDENCIAL

Bolsonaro sanciona com vetos MP da Liberdade Econômica

PECULATO

Deputado é denunciado por desvio de R$ 2 mi da Câmara

TALENTO DA CASA

Artista potiguar vence concurso internacional de arte

comentários