Política

‘A ditadura da Justiça está implantada’, diz Sarney em gravação

Por Silvia Ribeiro Dantas

27 de maio de 2016 | 11:45

Em diálogo gravado e de posse da Procuradoria-Geral da República o ex-presidente José Sarney (1985/1990) criticou pesadamente o Judiciário brasileiro. “A ditadura da Justiça tá implantada”, disse Sarney, em meio a conversa com citações ao juiz federal Sérgio Moro, da Operação Lava Jato, e ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Sarney (PMDB-AP) conversa com o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, alvo da Lava Jato. Em dezembro de 2015, a Polícia Federal (PF) deflagrou a Operação Catilinárias e fez buscas na residência de Machado. Acuado, o executivo decidiu gravar conversas com expoentes do PMDB, como o ex-ministro do governo interino Michel Temer, Romero Jucá, e o presidente do Congresso, Renan Calheiros (PMDB-AL).

O diálogo entre Sarney e Sérgio Machado ocorreu em março. Em dado momento eles atacam o Judiciário, conforme revelou a repórter Camila Bonfim, da TV Globo, que teve acesso com exclusividade aos áudios.

Sobraram hostilidades também para a imprensa. “Não teve um jurista que se manifestasse. E a mídia tá parcial assim. Eu nunca vi uma coisa tão parcial. Gente, eu vivi a revolução. Não tinha esse terror que tem hoje, não. A ditadura da toga tá f…” disse Machado.

“A ditadura da Justiça tá implantada, é a pior de todas!”, respondeu Sarney. Machado completou: “e eles vão querer tomar o poder. Prá poder acabar o trabalho”.

RECOMENDAMOS

PROGRAMA NATAL EMPREGO 50+

Pessoas acima de 50 anos poderão reingressar no mercado

PRESIDENTE

Bolsonaro faz procedimento para retirar lesões de pele

MOTORES DO DESENVOLVIMENTO

Gestão da Produção e Petróleo serão debatidos na Fiern

LIMPEZA

Praias do Litoral Sul recebem novas lixeiras

NOVOS SHOWS

Prefeitura anuncia novos shows no Natal em Natal 2019

ECONOMIA

São Gonçalo terá projeto Cidade Empreendedora

NOVAS OCUPAÇÕES

Aumento do trabalho autônomo está relacionado a apps

DINHEIRO EXTRA

Saiba se você terá direito ao saque de R$ 998 no FGTS

comentários