Brasil e Mundo

AUTOPROCLAMADO

Em Buenos Aires, Guaidó defende mobilização em favor da democracia

Em 6 dias, ele visitou quatro países, incluindo o Brasil

Por Agência Brasil

2 de março de 2019 | 08:40

Juan Guaidó - Foto: REUTERS / Agustin Marcarian/Direitos Reservados

Em visita a Buenos Aires, o autodeclarado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, apelou hoje (1º) para a mobilização nacional e internacional em favor da restauração de democracia e dos direitos humanos no seu país. Segundo ele, todos os segmentos devem se unir em defesa do “progresso e da prosperidade” contra a “pobreza e a miséria”.

Guaidó ressaltou que o esforço conjunto deve ser pela “construção de capacidades”, o que ocorre por meio de mobilização, envolvendo as pessoas, os movimentos sociais, os sindicatos, os grêmios estudantis, os partidos políticos e as Forças Armadas.

O líder da oposição venezuelana, Juan Guaido, que muitas nações reconheceram como o legítimo governante provisório do país, gesticula durante uma coletiva de imprensa no Palácio San Martin em Buenos Aires, Argentina,
O líder da oposição venezuelana, Juan Guaido, que muitas nações reconheceram como o legítimo governante provisório do país, em Buenos Aires, Argentina, – REUTERS / Agustin Marcarian/Direitos Reservados
Para o interino, o apoio que vem recebendo de líderes políticos estrangeiros é amplo. “É um reconhecimento à democracia e à luta”, destacou.

Giro pela América
Guaidó chegou à Argentina no começo da noite. Ele se reuniu com o presidente argentino, Mauricio Macri, que reconheceu a legitimidade de sua interinidade na Venezuela. Ao longo do dia, o venezuelano passou pelo Brasil e Paraguai.

No Paraguai, Guaidó conversou com o presidente paraguaio, Mario Abdo Benítez. Ao passar pelo Brasil, ele se reuniu com o presidente Jair Bolsonaro, o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e parlamentares.

O autodeclarado presidente da Venezuela pretende retonar ao seu país nos próximos dias. Porém, a Justiça venezuelano ordenou sua prisão e havia proibido que deixasse a região. Para o chaceler brasileiro, uma eventual prisão de Guaidó seria “um absurdo completo”.

Na Colômbia, Guaidó participou da distribuição de ajuda humanitária e da reunião do Grupo de Lima, que defendeu a busca por um acordo na Venezuela, sem interferência externa.

O interino pretende ir ao Chile este mês. A visita foi confirmada pelo governo do presidente chileno, Sebastián Piñera.

RECOMENDAMOS

ALFABETIZAÇÃO

SESI Mossoró fecha parceria na área de educação

INVESTIGAÇÃO

Polícia pega um dos suspeitos de matar moradora de rua

MODA

Desfile do SENAI fala da comunicação através da moda

LEIA NOTA

Fátima diz que respeita lei que concede 13º a deputados

NOTA DA AL

Deputados têm 13º e 1/3 de férias como todo servidor

RECONHECIMENTO

FIERN recebe prêmios por atuação na educação e cultura

É OURO

Vôlei de praia: Ana Patrícia e Rebecca levam o título

TELECOMUNICAÇÕES

Anatel inicia bloqueio de celulares irregulares no RN

comentários

ANUNCIE JÁ!

RUA DESEMBARGADOR BENÍCIO FILHO, N° 465 PETRÓPOLIS CEP: 59014-470

PABX:

2020-1200

REDAÇÃO:

2020-1200

COMERCIAL:

2020-1200

FALE CONOSCO

Nome
TELEFONE
E-MAIL