Gente no AR

'EXPERIÊNCIA HORRÍVEL'

Em relato chocante, Milla Jovovich revela ter sofrido aborto: ‘É um pesadelo, entrei em uma das piores depressões’

'Nenhuma mulher quer passar por isso, mas nós temos que lutar para garantir que nossos direitos sejam preservados', afirmou atriz

Por Redação

15 de maio de 2019 | 15:07

Milla na première de Hellboy em Abril (Foto: Crédito/Getty Images)

A atriz Milla Jovovich, conhecida por seu trabalho na série de filmes Resident Evil, relatou ter sofrido um aborto há cerca de dois anos e fez um desabafo em seu Instagram após o tema ser alvo de debates nos Estados Unidos por conta de mudanças em leis em Estados como a Geórgia e o Alabama.

“Eu nunca quis falar sobre essa experiência. Mas eu não posso permanecer em silêncio quando tanto está sob risco. […] Nossos direitos como mulheres de obter abortos seguros por médicos experientes estão novamente sob risco. […] Incluindo em casos de estupro ou incesto”, afirmou a atriz em seu Instagram na terça-feira, 14.

Em seguida, relatou sua própria experiência: “Eu mesma passei por um aborto de emergência dois anos atrás. Eu estava grávida há quatro meses e meio, e gravando em um local na Europa Oriental. Entrei em trabalho de parto prematuramente e me disseram que teria que ficar acordada durante todo o procedimento.”

“Foi uma das experiências mais horríveis que já passei. Eu ainda tenho pesadelos com ela. Eu estava sozinha e sem ajuda. Quando eu penso no fato que mulheres devem enfrentar abortos em condições ainda piores que eu por causa das novas leis, meu estômago revira”, complementou.

Segundo a atriz, o aborto fez com que ela desenvolvesse problemas relacionados à sua saúde mental: “Eu entrei em uma das piores depressões da minha vida e tive que trabalhar extremamente duro para encontrar a saída. Dei um tempo na minha carreira. Me isolei por alguns meses e tive que manter um rosto forte por meus dois maravilhosos filhos.”

“Eu comecei a praticar jardinagem, comer de forma mais saudável, e ir à academia todos os dias porque eu não queria tomar anti depressivos ao menos que não houvesse outra alternativa”, contou.

“A memória do que eu passei e o que eu perdi ficará comigo até o dia em que eu morrer. O aborto é um pesadelo no seu máximo. Nenhuma mulher quer passar por aquilo. Mas nós temos que lutar para garantir que nossos direitos sejam preservados para obter um [aborto] seguro se precisarmos”, concluiu.

View this post on Instagram

I don’t like to get political and I try to only do it if a really have to and this is one of those times. If someone doesn’t want to continue reading, you have been warned. Our rights as women to obtain safe abortions by experienced doctors are again at stake. Last Tuesday, Georgia Governor Brian Kemp signed a draconian bill into law that outlaws all abortions after six weeks — before most women even realize they’re pregnant — including in cases of RAPE OR INCEST. This makes Georgia the sixth state to pass such a restrictive six-week abortion ban, joining Ohio, Mississippi, Kentucky, Iowa, and North Dakota. These laws haven’t been passed yet, but lawmakers in these states are trying. Abortion is hard enough for women on an emotional level without having to go through it in potentially unsafe and unsanitary conditions. I myself went through an emergency abortion 2 years ago. I was 4 1/2 months pregnant and shooting on location in Eastern Europe. I went into pre term labor and told that I had to be awake for the whole procedure. It was one of the most horrific experiences I have ever gone through. I still have nightmares about it. I was alone and helpless. When I think about the fact that women might have to face abortions in even worse conditions than I did because of new laws, my stomach turns. I spiraled into one of the worst depressions of my life and had to work extremely hard to find my way out. I took time off of my career. I isolated myself for months and had to keep a strong face for my two amazing kids. I started gardening, eating healthier and going to the gym everyday because I didn’t want to jump into taking anti depressants unless I had tried every other alternative. Thank God I was able to find my way out of that personal hell without turning to medication, but the memory of what I went through and what I lost will be with me till the day I die. Abortion is a nightmare at its best. No woman wants to go through that. But we have to fight to make sure our rights are preserved to obtain a safe one if we need to. I never wanted to speak about this experience. But I cannot remain silent when so much is at stake. #prochoice #prochoicegeneration

A post shared by Milla Jovovich (@millajovovich) on

RECOMENDAMOS

NOVA APOSENTADORIA

Previdência: texto alternativo foi ruído de comunicação

ESTÁ PRESO

Motorista que matou Gis diz que nem lembra do acidente

ALERTA SPOILER!

Emilia Clarke ficou espantada com roteiro final de GOT

GRANDE NATAL

Foragido da Justiça morre durante operação policial

PROPOSTA

Conselhos fazem projeto para impedir suicídios na Ponte

ACABOU?

Jorge e Matheus apagam conta no Instagram

NÚMEROS

Exportações do RN cresceram 26% nos primeiros 3 meses

AÇÃO POPULAR

Vereador e deputado querem anular diferença na tarifa

comentários