Geral

REPACTUAÇÃO

Estudante inadimplente com Fies poderá pedir renegociação da dívida

Medida está autorizada para financiamentos concedidos até o 2º semestre de 2017

Por Luci Ribeiro

3 de abril de 2019 | 09:26

Foto: Arquivo/Agência Brasil

Estudantes inadimplentes ou em atraso no pagamento de contratos do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) podem pedir renegociação da dívida com o banco no período de 29 de abril a 29 de julho de 2019. O prazo foi fixado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), gestor do Fies, e está formalizado em portaria no Diário Oficial da União (DOU).

A possibilidade de renegociação do saldo devedor foi autorizada pelo Comitê Gestor do Fies em outubro do ano passado. Antes, o aluno que deixasse de pagar alguma parcela do financiamento teria apenas a opção de quitar o valor à vista.

Segundo a resolução do comitê, o banco fica autorizado a repactuar dívidas com o Fies para os contratos de financiamentos concedidos até o 2º semestre de 2017 que estejam inadimplentes com atraso mínimo de 90 dias na fase de amortização.

A renegociação poderá ser feita em uma das duas modalidades: reescalonamento ou novo parcelamento. Mas há uma condição para que os alunos possam aderir à medida: terão de pagar uma parcela de entrada, em espécie, correspondente a 10% do valor consolidado da dívida vencida ou no valor de R$ 1 mil, o que for maior.

Segundo dados do FNDE, gestor do Fies, 500 mil estudantes poderão ser beneficiados com a renegociação. O saldo devedor que eles acumulam soma mais de R$ 10 bilhões.

RECOMENDAMOS

DESESTATIZAR

Bolsonaro autoriza estudo para privatizar Correios

TRANSPORTE URBANO

Tarifa do trem terá aumento progressivo até R$ 2

EVENTO

Palestra discute situação do Instituto Santos Dumont

BALANÇO

Saldo de empregos tem pior mês de março desde 2016

PRAZO ACABANDO

Mais de 320 mil ainda não pagaram o IR de 2019 no RN

SUSTO!

Moradores confundem fogos com alerta de evacuação

BENZA DEUS!

Cauã Reymond posta foto sexy e tamanho choca seguidores

'DESERTO'

Pregão que Estado usaria para pagar servidores fracassa

comentários