Sem categoria 14/04/2019 10:31

Outra vez o gênio maligno

Por Carlos Linneu T F C

Deus é brasileiro. Mas o gênio maligno também.

Para o Centro ou para a Direita clássica, a pior herança do ciclo petista não foi a mais longa recessão econômica da história brasileira.

Primeiro, foi o fardo chamado Jair Bolsonaro. Um quadro destituído de formação doutrinária que não pertence a nenhuma posição do espectro ideológico. É apenas um sindicalista militar que emite sons guturais e que encontrou ressonância em quem aprecia tal tipo de musicalidade. Não se confunde com a qualidade de nossos militares. A “desfortuna” maquiaveliana trouxe o militar errado.

País infeliz: o destino nos fez perder a nossa grande liderança de Centro, que foi Tancredo Neves, hábil o suficiente para ter liderarado o país rumo à modernidade política e econômica. O mesmo gênio maligno que nos arrebatou Tancredo, agora nos trouxe a assombração bolsonariana. O léxico português ganhou mais uma locução. Havia o neologismo “homo lulopetistus”. Temos agora um “homo bolsonarius”.

Segundo, o descrédito colado a um discurso de Centro, que poderia ser construído ao longo dos próximos anos, longe dos extremos vivido nos últimos anos.

A terceira herança é um dilema doloroso para os comentaristas da política, de matriz conservadora: como criticar tal governo sem que se pareça estar defendendo o retorno ao desastrado passado petista?

Carlos Linneu

Biografia Nasceu em Caicó e estudou em São Carlos. Leitor de jornais, a grande universidade.

Descrição Blog opinativo de temas políticos e econômicos, baseado em leituras de jornais e revistas.

todos os blogs

tags

mais lidas

Aluízio e Carlos Lacerda

07/04/2019 17:08

Dória. Amoêdo

04/04/2019 22:00

Tenham juízo

17/04/2019 20:14

A Direita burra

01/04/2019 07:54