Lazer

LUTO

Ex-presidente do Vasco, Eurico Miranda morre aos 74 anos

Ele sofria com problemas de saúde nos últimos anos

Por Estadão Conteúdo

12 de março de 2019 | 13:54

Eurico Miranda - Foto: Reprodução

Ex-presidente do Vasco, Eurico Miranda faleceu nesta terça-feira (12) no Rio de Janeiro. A causa da morte do dirigente ainda não foi revelada oficialmente, mas ele vinha sofrendo com problemas de saúde nos últimos anos, o que incluía um tumor na cabeça. Passando mal, deu entrada no Hospital Vitória, no bairro da Barra da Tijuca, no Rio, mas não conseguiu sobreviver.

Embora estivesse debilitado, Eurico nunca se afastou da política do Vasco, tanto que exercia o cargo de presidente do Conselho de Beneméritos do clube. Mas não vinha mais participando de eventos públicos, deixando de acompanhar os jogos do time em São Januário, algo que sempre foi recorrente e marcou a sua passagem pela equipe.

Nas últimas aparições, era visto quase sempre em cadeiras de rodas e apresentava dificuldades para falar. Em anos recentes, inclusive, havia vencido um câncer na bexiga e outro no pulmão. Mas agora não resistiu aos seus problemas de saúde.

Polêmico e alvo de diversas denúncias, Eurico é um dos mais conhecidos dirigentes da história do futebol brasileiro e do Vasco, tendo presidido o clube de 2003 a 2008 e de 2015 a 2017. Mas sua participação na gestão do time carioca foi muito além desse período, tendo cargos como presidente do Conselho Deliberativo e de vice-presidente de futebol.

Filho de portugueses, Eurico era advogado e começou a atuar no Vasco na década de 1960. As primeiras atitudes de maior repercussão foram nos anos 1980, quando o dirigente contribuiu para o clube conseguir o retorno do atacante Roberto Dinamite, que estava no Barcelona. Na mesma década, ele articulou duas negociações importantes para o Vasco: a venda de Romário para o PSV Eindhoven, da Holanda, e a compra de Bebeto, que pertencia ao Flamengo.

Atuando como homem-forte do futebol vascaíno, se tornou a mais conhecida figura do clube, até mesmo mais do que os presidentes da época. Costumava dar entrevistas polêmicas, quase sempre aparecia na frente das câmeras com um charuto e era bastante centralizador. “Aqui no Vasco mando eu. Ditatorialmente!”, afirmou certa vez.

Eurico se tornou figura central do futebol nacional e participou de diversas conquistas do Vasco nos anos 1990, como a edição de 1998 da Copa Libertadores, o Campeonato Brasileiro de 1997 e de 2000, então denominada Copa João Havelange, e a Copa Mercosul de 2000.

Paralelamente ao clube, o dirigente ingressou na carreira política e chegou a ser deputado federal, em mandatos que duraram de 1995 a 2002.

RECOMENDAMOS

SAÍDAS VOLUNTÁRIAS

Bolsa Família: Mais de 11 mil pediram desligamento

RECUSOU

Eleita Miss Bumbum, Pabllo Vittar critica título

TRANSPORTE INTERMUNICIPAL

Motoristas adiam para terça-feira decisão sobre greve

TOPO DO PÓDIO

Esgrima: Brasileira leva ouro e faz história no Mundial

NORMAS SANCIONADAS

RN teve quase 100 novas leis no primeiro semestre

RESSOCIALIZAÇÃO E PREVENÇÃO

Presas do João Chaves recebem atendimento médico

INCLUSÃO

Bolsonaro anuncia inclusão de autistas no Censo 2020

RECURSO NEGADO

TRE-RN mantém Lava Jato no RN na Justiça Federal

comentários