Economia

LEVANTAMENTO DA FOLIA

Fecomércio apresenta resultados do Carnaval em Parnamirim

Pesquisa traz perfil do folião, comerciantes e índice de satisfação e de retorno

Por Redação

23 de maio de 2019 | 17:37

Diretor executivo da Fecomércio, Jaime Mariz, entrega a pesquisa do Carnaval de Parnamirim 2019 ao prefeito Rosano Taveira. Foto/Divulgação Fecomércio

Representando o presidente Marcelo Queiroz, o diretor Executivo da Fecomércio RN, Jaime Mariz, esteve na manhã desta quinta-feira (23), em Parnamirim, onde apresentou ao prefeito Rosano Taveira, secretários municipais, ao presidente da Câmara Municipal, Irani Guedes e vereadores além de empresários da cidade, os resultados da pesquisa sobre o perfil do público e dos comerciantes que atuaram no Carnaval de Parnamirim 2019.

A exemplo do que já faz há cinco anos no Carnaval de Natal, o Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Comércio (IPDC) da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do RN (Fecomércio RN), realizou as pesquisas pela primeira vez em Parnamirim, no período entre 1º e 5 de março, quando foram ouvidos 522 foliões e 170 comerciantes.

A maioria dos foliões eram homens (54,7%), com idades entre 16 e 34 anos (49%); com ensino médio (52%); renda de até R$ 3.500 (62,1%); e passaram o Carnaval com a família (65,6%). Com relação à origem, 42,9% eram nativos e 57,1% eram turistas. Entre os turistas, 89,9% eram do Rio Grande do Norte, sendo 32,1% de Natal, e 2,4% de Macaíba. Do que vieram de outros estados, 2,2% eram da Paraíba; 2% de Pernambuco; 1,4% de São Paulo; 1,3% do Rio de Janeiro; 1,1% de Minas Gerais e 0,7% do Ceará.

Entre os foliões que responderam à pesquisa, apenas 36,6% estava participando pela primeira vez; cada um brincou em média 4 dias; e 49,4% responderam que a programação oferecida pela Prefeitura influenciou muito a decisão de ir ao evento. A maioria ficou sabendo do Carnaval de Parnamirim por meio de amigos e familiares (35,5%); ou ainda por meio das redes sociais (15%). Muitos decidiram ir em carros particulares (51,6%); ou a pé (23,6%). Os que foram ônibus, transporte por aplicativo, carro alugado, táxi ou bicicleta, somaram 24,8%.

Perguntados sobre o que mais atraiu no Carnaval de Parnamirim 2019, as pessoas responderam que foram os atrativos naturais (32,7%); a programação do Carnaval (28,9%) e a indicação de parentes e amigos (27,4%). Quanto às atividades do frequentadas, a maior parte do público se dividiu entre os shows musicais (54,2%); e as praias (51,8%).

O gasto médio diário individual dos turistas foi de R$ 129,40 e dos nativos foi de R$ 52,65. Para se ter uma ideia, o gasto médio diário individual dos turistas do Carnaval de Natal este ano foi de R$ 120,64 e o dos nativos foi de R$ 68,56. O dinheiro gasto pelos turistas foi destinado principalmente à hospedagem (45,6%); e alimentação/bebidas (31,4%). Entre os nativos os principais gastos foram com alimentação/bebidas (61,2%); e diversão (15,6%).

Para avaliar a qualidade do evento, o IPDC pediu para os entrevistados atribuírem notas a alguns itens como a hospitalidade (8,62); os meios de hospedagem (8,44); a diversão da cidade (8,42); a limpeza urbana (8,54); a segurança (8,31). O item que teve a menor nota individual foi acesso e transporte (7,56). No geral, o evento ficou com nota média de 8,65, com 94% das pessoas afirmando que recomendariam a festa e 66,7% dizendo que pretendem voltar em outros anos.

Informais são maioria

A maioria dos comerciantes eram homens (63,5%); com idades entre 45 e 59 anos (36,5%), com ensino fundamental (46%) ou ensino médio (45%); e autônomos (57,6%). 70,6% informaram que seu negócio era informal; estavam atuando no ramo de bares/restaurantes (43,5%) e lanchonetes (18,8%); e estavam localizados em Pirangi, sendo 35,9% na Avenida e 22,4% na Praça; na orla (20%); e outros 16% na Cohabinal. 66,5% já atuaram no Carnaval em anos anteriores.

O investimento médio feito por cada comerciante foi de R$ 2.809,79, e cada negócio empregou em média 3 pessoas. Apesar disso, 68,2% disse não ter contratado funcionários extras. Muitos comerciantes sentiram um impacto positivo na economia de seus negócios (67,6%). A maioria teve vendas dentro do esperado (43,5%).

Os atrativos que os comerciantes usaram para os clientes foi o preço baixo (25,9%). Já os clientes ficaram mais satisfeitos com a possibilidade de pagar suas compras no cartão de crédito (43,5%). O maior investimento foi no estoque (85,3%), seguido pela variedade de produtos (48,8%). O faturamento médio de cada negócio foi de R$ 1.885,45.

“A Fecomércio, na pessoa do presidente Marcelo Queiroz, tem o interesse de fomentar o desenvolvimento dos municípios. Apresentamos aqui o perfil dos foliões e a Prefeitura pode pensar em mais ações para o próximo ano, atendendo à pesquisa. Além disso, o comerciante enxergou uma possibilidade de ganhar dinheiro, gerando negócios e renda”, comentou o diretor Executivo da Fecomércio RN, Jaime Mariz.

Segundo informações da prefeitura, foram investidos no Carnaval 2019 R$ 800 mil, com um público estimado de 40 mil pessoas por dia. “Vamos expandir o Carnaval para mais polos. Temos hoje dados que comprovam que o Carnaval de Parnamirim é viável, gera emprego e renda, e vamos trabalhar em cima disso”, afirmou o prefeito de Parnamirim, Rosano Taveira.

As pesquisas estão disponíveis no link: http://fecomerciorn.com.br/pesquisas/

RECOMENDAMOS

QUATRO DIAS DE ESPORTES

Natal recebe etapa dos Jogos Escolares da Juventude

IMPORTÂNCIA DA LEITURA

Turma da Mônica vai à Câmara para tratar sobre leitura

NA CALADA DA MADRUGADA

Mossoró: Polícia apreende cigarros contrabandeados

PELA DEMOLIÇÃO

Álvaro Dias diz que não vai gastar com Hotel Reis Magos

JÚNIOR BASS GROOVADOR

Jack Black quer levar baterista potiguar ao Rock in Rio

PLANO DIRETOR NO AR

Natal:Prefeito defende na Câmara verticalização da orla

DENÚNCIA E CAPTURA

Suspeita de participar da morte da PM de SC é presa

ENDIVIDADO

Ceará-Mirim poderá cancelar contratos de obras

comentários