Geral

TECNOLOGIA FORENSE

Itep coleta DNA de apenados para banco genético

Ação coletou amostras biológicas de 135 detentos em Alcaçuz

Por Redação

13 de março de 2019 | 13:00

Foto: Divulgação/Itep-RN

Peritos do Laboratório de Genética Forense do Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep-RN), em parceria com a Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc) iniciaram nesta semana a coleta de material genético de presos condenados no RN para inserção na rede nacional de banco de dados de perfis genéticos, com objetivo de prevenir delitos, responsabilizar os verdadeiros culpados e identificar por meio de DNA, o autor do crime.

A primeira ação coletou 135 amostras biológicas de detentos em Alcaçuz condenados por crimes como estupro, feminicídio, homicídio qualificado, latrocínio, entre outros.

“O banco de dados genético, em fase de implantação no nosso Laboratório de DNA, será uma importante ferramenta para a segurança pública, permitindo identificar suspeitos em meio aos vestígios nos locais de crime, o que irá contribuir de forma enfática na investigação e combate à criminalidade”, destacou Marcos Brandão, diretor geral do Instituto.

O trabalho, coordenado pelos peritos criminais Fabrício Fernandes Oliveira e Elias Guilherme, iniciou com um mutirão no presídio de Alcaçuz e a meta é que até o final do ano, dos cerca de 3 mil detentos do RN que se encaixam nas condenações mencionadas na Lei nº 12.654/2012, pelo menos 900 tenham seus perfis genéticos cadastrados no banco estadual de material genético e na rede integrada de banco de dados nacional.

“Os bancos de dados têm como objetivo manter, alimentar e compartilhar perfis genéticos de condenados e vestígios encontrados em locais de crime permitindo determinar o autor na cena do delito, dando resolução rápida e prevenindo novos delitos. Além disso, protege inocentes que estejam injustamente acusados e a identificação de pessoas desaparecidas”, enfatizou Fabricio.

Após a coleta, os materiais passarão por processamentos técnicos no Laboratório do Itep-RN, para serem identificados perfis genéticos e em seguida serem lançados no sistema.

Duas novas ações de coleta deverão ocorrer no mês de abril. Os insumos e equipamentos utilizados chegam por meio de parceria com a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp/MJ).

RECOMENDAMOS

SEGURANÇA

Centro de Comando da Sesed vai monitorar manifestação

TÁ SUJA

Praias em Natal continuam impróprias para banho. Veja.

SEGUE

Veja como é a reforma administrativa aprovada na Câmara

CONGRESSO

Encontro elegerá direção do PSB/Natal visando eleições

AGENDA ECONÔMICA

Fecomércio mostra potencial econômico do RN na Alemanha

FLOPOU

Poucos comparecem e manifestação vira panfletagem

PRÊMIOS

Mega Sena pode pagar R$ 3 milhões neste sábado

IMPRUDÊNCIA

Bêbado foge de blitz e quase atropela pedestres

comentários