Brasil e Mundo

CRIME REVOLTANTE

Justiça condena homem por estuprar filhas de 14 anos

Condenação foi de 59 anos e sete meses de reclusão, em regime fechado

Por Estadão Conteúdo

2 de maio de 2019 | 09:36

Foto: Reprodução/Internet

A Justiça condenou a 59 anos e sete meses de reclusão, em regime fechado, um homem acusado do estupro de suas próprias filhas. De acordo com a denúncia do Ministério Público do Paraná, oferecida pela 1ª Promotoria de Justiça de Infrações Penais contra Crianças, Adolescentes e Idosos da Região Metropolitana de Curitiba, “o homem constrangeu duas filhas, ambas menores de 14 anos à época dos fatos, a praticar atos libidinosos com ele”.

Os crimes, segundo a Promotoria, ocorreram entre 2001 e 2015, na residência em que o acusado vivia com as meninas, em Curitiba.

A sentença foi aplicada no último dia 26 de abril. O réu já se encontrava detido por força de prisão provisória, “uma vez que, armado com uma faca, atentou contra a vida das vítimas após a revelação dos fatos, chegando a entrar em confronto com dois vizinhos que saíram feridos”.

De acordo com a investigação do Ministério Público do Paraná, conduzida a partir dos depoimentos colhidos pelo Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítima de Crime (Nucria), “os abusos tiveram início quando as vítimas ainda eram muito pequenas, a partir dos cinco e seis anos de idade, e pioraram após a morte da mãe das garotas”. O processo (Autos 0002674-79 2018.8.16.0007) tramita em segredo de justiça.

RECOMENDAMOS

SEMIABERTO

Ex-governador Fernando Freire deixa a prisão

CONDENADO

Pedreiro que matou menina Iasmin pega 31 anos de prisão

PROTEÇÃO

Preocupação com segurança de dados é a maior em 10 anos

EXPECTATIVA

Lei da Microempresa deve gerar empregos,diz Álvaro Dias

QUINTO CONSTITUCIONAL

OAB realiza sabatina com os 23 candidatos ao TRT21

EXPLICAÇÕES

Moro nega existência de acordo para assumir vaga no STF

OTIMISMO

Lei dará "condições especiais" às microempresas, diz CD

TV NO AR

Veja propostas de Marisa Almeida na eleição do Quinto

comentários