Brasil e Mundo

VERDE E ROSA

Mangueira vence carnaval do Rio pela 20ª vez

Escola de samba falou dos líderes da história do Brasil e homenageou Marielle

Por Redação

6 de março de 2019 | 18:15

Desfile da Mangueira no Carnaval 2019 no Rio de Janeiro. Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

A Estação Primeira de Mangueira foi a vencedora do grupo especial das Escolas de Samba do Rio de Janeiro. É o 20º título da agremiação no carnaval do Rio. No enredo deste ano, a Mangueira trouxe “História para ninar gente grande” e homenageou a vereadora Marielle Franco, sendo ovacionada no sambódromo. A Mangueira já tinha ganho o Estandarte de Ouro neste ano. Na escala de pontuação, tirou 10 em quase todos os quesitos.

A Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) divulgou no início da tarde desta quarta (6) a ordem da leitura das notas. Primeiro foram abertos os envelopes do quesito evolução. Em seguida foram lidas, nesta ordem, as notas relativas à harmonia, mestre-sala e porta-bandeira, alegorias e adereços, comissão de frente, samba enredo, enredo, bateria e fantasias. A pior nota de cada escola é descartada.

A intenção do enredo da escola foi mostrar a participação de líderes populares que influenciaram a história do Brasil e não têm suas realizações contadas nos livros. Neles, personagens negros, índios, com destaque também para mulheres como a vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ), Maria Felipe Oliveira, que liderou a resistência aos portugueses na Bahia e Luiza Mahin, líder do levante dos Malês, de pessoas escravizadas.

No enredo, Alcione representou Dandara, a mulher de Zumbi dos Palmares. “Foi uma honra representar Dandara, uma líder das pessoas escravizadas”, afirmou.

A cantora Leci Brandão, que é mangueirense, disse ter sido tomada por um misto de sentimentos durante o desfile, pois foi homenageada e citada na letra do samba-enredo. “A gente entra para a ala dos compositores nos anos de 1970 e, em 2018, ter o nome no samba é pra gente chorar, uma emoção muito grande mesmo, principalmente porque vim representando Luiza Mahin”, afirmou a artista.

Mônica Benício, viúva da vereadora Marielle Franco, morta em março do ano passado, disse que foi um enredo urgente e atual. “Fala de representatividade, de resistência, e a Marielle sendo homenageada, ter ela hoje como símbolo de esperança é, sobretudo, uma emoção muito grande”, disse.

Confira aqui as fotos do desfile da Mangueira

RECOMENDAMOS

Voltou atrás

UFRN cancela posse de reitor no Teatro Riachuelo

PESQUISA FIERN/CONSULT

Corte no Sistema S é reprovado por 69% dos potiguares

PESQUISA FIERN/CONSULT

FIERN: 60% dos potiguares desaprovam Governo Bolsonaro

PESQUISA FIERN/CONSULT

Aprovação do Governo Fátima é de 55%

CONSCIENTIZAÇÃO

Começa semana de trabalhos sobre Fissura Labiopalatina

O CHÃO TREMEU

Tremor de magnitude de 8,1 graus abala Noroeste do Peru

INCENTIVO

Uber vem a Natal incentivar carreira tech para meninas

DEBATE

FIERN e SEDEC discutem crescimento econômico

comentários