Política

ACUSAÇÃO

Mineiro diz que dono da OAS foi “torturado” até incriminar Lula

Ex-deputado estadual fez declaração no Twitter para repercutir reportagem

Por Redação

1 de julho de 2019 | 10:55

Foto: Alberto Leandro/Portal No Ar

O ex-deputado estadual Fernando Mineiro, atual secretário da governadora Fátima Bezerra, afirmou que o ex-presidente da construtora OAS, Léo Pinheiro, foi “torturado” até incriminar o ex-presidente da República Lula da Silva.

“A edição da FSP [Folha de S. Paulo] só confirma que Léo Pinheiro foi torturado (é a palavra que melhor traduz o que aconteceu) pelo Moro e sua turma até dar o depoimento que serviu de base pra condenar Lula”, escreveu o ex-deputado, no Twitter.

Mineiro fez o comentário em repercussão a uma reportagem do jornal com o site The Intercept Brasil publicada na madrugada desse domingo, 30. As conversas reveladas pelos jornalistas demonstraram as tratativas dos procuradores da força-tarefa da Lava Jato com advogados da OAS para uma delação premiada de Léo Pinheiro.

De acordo com a publicação, as tratativas entre a OAS e a Lava Jato começaram em fevereiro de 2016. Léo Pinheiro só apresentou a versão sobre o triplex no Guarujá que permitiu a acusação e condenação de Lula em abril de 2017. Meses antes, em junho de 2016, os jornais brasileiros noticiavam que o empresário negava ter pago qualquer propina ao ex-presidente.

A matéria apresenta mensagens privadas dos procuradores para mostrar que os relatos apresentados pela empresa foram mudando até que os procuradores aceitassem assinar um termo de confidencialidade com os advogados da OAS.

 

RECOMENDAMOS

FINALMENTE!

Matrix 4 é confirmado com retorno de Keanu Reeves

PODEROSÍSSIMA

Novo álbum de Taylor já vendeu mais de 1 mi de cópias

VALEU BOI

Após aprovação de PL, vaquejada pode se tornar esporte

MAL-ESTAR

Briga entre Sony e Disney afeta futuro do Homem-Aranha

TRANSPORTE PÚBLICO

Empresa é acusada de demitir motoristas após acidentes

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

Câmara aprova lei que obriga agressor a ressarcir SUS

PROJETO DE LEI

CMN veta ônibus grátis para mulher vítima de violência

PROGRAMA

Governadora espera empréstimo de R$ 1,2 bilhão

comentários