Geral

ARCO-ÍRIS

Monumentos de Natal serão iluminados com cores da bandeira LGBT

Ação faz parte da II Semana de Cidadania LGBT de Natal

Por Redação

13 de maio de 2019 | 12:17

Foto: Alex Régis/Reprodução

Na próxima sexta-feira (17), será celebrado o Dia Internacional Contra a Homofobia. Em alusão à data, a Prefeitura do Natal, por meio da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur), vai iluminar com as cores da bandeira LGBT+ (Lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros) o viaduto estaiado da Avenida Prudente de Morais e a Ponte Newton Navarro.

A iluminação especial faz parte da ações da II Semana de Cidadania LGBT de Natal, que se inicia nesta segunda-feira (13) e segue até domingo (19). A iniciativa parte do calendário de ações da Prefeitura do Natal e segue a Lei 6.753 de 26 de dezembro de 2017.

As cores do arco-íris nos monumentos da cidade objetivam despertar o interesse e a consciência da sociedade para a luta dos direitos das minorias, além de promover o respeito, a tolerância e o combate ao preconceito e a violência contra lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros.

Contra a homofobia

A cada 20 horas um LGTB morre de forma violenta, vítima da LGTBfobia no Brasil. O número torna o país campeão mundial de crimes contra as minorias sexuais. Dos 420 casos em 2018, 15 deles foram registrados no Rio Grande do Norte. Os dados foram levantados pelo Grupo Gay da Bahia.

No ano de 2016, o mesmo levantamento colocou Natal como a 5ª capital que mais matava pessoas LGBT, com taxa de 6,96 assassinatos por cada milhão de habitantes.

Diante dos números, a então vereadora Natália Bonavides (PT) e o vereador Dickson Júnior (PSDB) aprovaram uma Lei Municipal, em 2017, que criou a “Semana da Cidadania LGBT”. Neste ano, a ação chega à segunda edição, com programação a partir desta segunda-feira (13).

A ideia é que a Lei nº 6.753 desperte a atenção dos natalenses para a temática em maio de cada ano aproveitando o apelo do Dia Internacional de Combate à Homofobia, lembrado a cada 17 de maio por ser a data em que a Organização Mundial da Saúde (OMS) retirou a homossexualidade da lista internacional de doenças (1990).

RECOMENDAMOS

SEMIABERTO

Ex-governador Fernando Freire deixa a prisão

CONDENADO

Pedreiro que matou menina Iasmin pega 31 anos de prisão

PROTEÇÃO

Preocupação com segurança de dados é a maior em 10 anos

EXPECTATIVA

Lei da Microempresa deve gerar empregos,diz Álvaro Dias

QUINTO CONSTITUCIONAL

OAB realiza sabatina com os 23 candidatos ao TRT21

EXPLICAÇÕES

Moro nega existência de acordo para assumir vaga no STF

OTIMISMO

Lei dará "condições especiais" às microempresas, diz CD

TV NO AR

Veja propostas de Marisa Almeida na eleição do Quinto

comentários