Geral

VIOLÊNCIA

Morto por bala perdida, funcionário de restaurante trabalhava para ajudar a mãe e sonhava com faculdade

Anderson Felipe da Silva, de 21 anos, morreu no restaurante onde trabalhava

Por Ayrton Freire

16 de abril de 2018 | 13:04

Domingo, 15 de abril. Nessa data mais um inocente perdeu a vida em meio à guerra entre facções criminosas que assola o Rio Grande do Norte. A vítima da vez foi Anderson Felipe da Silva, de 21 anos, atingido por bala perdida no local onde trabalhava, o restaurante Barramar, em Areia Preta, na zona leste de Natal. Na mesma ocorrência, um homem apontado como chefe de um grupo criminoso foi morto por rivais.

Os homicídios aconteceram à luz do dia. Jussiê José da Silva, o Siê, de 22 anos, era – conforme informação apurada e repassada pela Polícia Militar – integrante da facção Sindicato do Crime do RN. Ele foi o primeiro a morrer. Almoçava no Farol Bar, vizinho ao Barramar, quando um casal entrou no estabelecimento e o executou a tiros. De acordo com a Secretaria de Estado de Segurança Pública e da Defesa Social, a Sesed, quando se viram cercados, os assassinos começaram a atirar contra os policiais militares. Os disparos feitos a esmo atingiram o cozinheiro que, possivelmente, tentava entender o que se passava no estabelecimento vizinho ao que ele trabalhava.

Felipe da Silva foi baleado no abdômen. Em estado grave, ele chegou a ser levado, por populares, ao Complexo Hospitalar Monsenhor Walfredo Gurgel. Pouco antes das 16 horas, a Polícia Militar informou que o jovem não havia resistido.

“Logo você, um rapaz tão honesto, sendo vítima da maldade desse mundo cruel! Saiu para trabalhar e não voltou. Como vai ser chegar na casa de tia e não te ver, meu anjinho?”, escreveu uma prima de Felipe da Silva, em uma rede social. O jovem ajudava a mãe dele com o salário que recebia.

Os assassinos

Policiais da Companhia Independente de Policiamento Turístico conseguiram, em meio ao fogo cruzado, prender Jeová do Nascimento Silva, de 26 anos. Ele é chamado de ‘Anjo Gabriel’ pelo Primeiro Comando da Capital, o PCC, facção inimiga do Sindicato do Crime do RN, ao qual Siê era ligado. O homicida era foragido da Justiça. Deveria estar preso por outro homicídio, mas solto, nas ruas, fez mais vítimas.

A esposa de Jeová Silva, Ayanne Ribeiro dos Anjos, de 24 anos, também foi presa. Com o casal, a Polícia Militar apreendeu a arma que matou o rival do crime como também o inocente. O armamento era uma pistola 9 mm, de fabricação turca e numeração raspada.

O sepultamento do jovem Anderson Felipe da Silva está marcado para a tarde desta segunda-feira, 16. Ele tinha o sonho de cursar Gastronomia para melhor se qualificar no mercado de trabalho.

RECOMENDAMOS

POLÍCIA

Homens em carro roubado morrem após perseguição da PM

TRANSPORTE DE CARGAS

ANTT publica novas regras para cálculo do frete mínimo

DESATIVADDA

Saiu a sentença de recuperação judicial da Multidia

DIÁLOGO

AGN-RN e IMD discutem parceria para startups potiguares

REFORÇO NA SEGURANÇA

Polícia Civil receberá R$ 2 milhões em viaturas e armas

MUNDO MÁGICO LITERÁRIO

Feira de Livros e Quadrinhos de Natal será em setembro

VÍDEO

Dengue: Imóvel abandonado preocupa moradores no Alecrim

TUDO LIBERADO

Grande Natal tem todas as praias próprias para o banho

comentários