Geral

CAMPANHA NACIONAL

Natal terá ações de combate ao abuso e exploração de menores

Dia 18 de maio marca o combate ao abuso e de crianças e adolescentes

Por Redação

7 de maio de 2019 | 10:03

Foto: Reprodução

Instituído pela Lei Federal n° 9.970, o dia 18 de maio é considerado Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Com o objetivo de informar e convocar toda a sociedade a participar da luta em defesa dos direitos sexuais de crianças e adolescentes, a Prefeitura do Natal, por meio da Secretaria do Trabalho e Assistência Social (Semtas), promove uma série de mobilizações em diversos pontos da capital. Palestras, oficinas, seminário e panfletagens em vários pontos turísticos, como hotéis, praias, restaurantes, bares, além de feiras livres, praças, aeroporto e rodoviária, fazem parte da programação.

As ações socioeducativas, coordenadas pelo Departamento de Proteção Social Especial (DPSE), através do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti) e do Setor de Média Complexidade, seguem até o fim deste mês, nas quatro zonas administrativas da capital: Norte, Sul, Leste e Oeste.

No sábado (18), a Semtas promove o Dia “D” de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, das 15h às 17h, nas imediações do Shopping Midway Mall.

“Queremos sensibilizar e convidar a sociedade através de orientações, panfletagens e apresentação cultural (Grupo Folia de Rua) para participar da luta em defesa dos direitos sexuais de crianças e adolescentes, garantindo que cada criança e adolescente tenha direito ao desenvolvimento de sua sexualidade de forma segura e protegida, livres do abuso e da exploração sexual. Além é claro, de incentivar a realização de denúncias desses casos através do Disque 100”, ressalta a secretária da Semtas, Andréa Dias.

Denúncia

A escolha da data 18 de maio foi em decorrência do caso Araceli, criança vitima de abuso e violência sexual, cruelmente assassinada no Espírito Santo, em 1973. A exploração sexual de crianças e adolescentes virou crime hediondo no Brasil, em 2014. Além de pegar até 10 anos de prisão em regime, inicialmente, fechado, quem cometer esse crime não terá direito à fiança. A pena também se estende a todos que facilitam e se envolvem nesse crime contra vítimas tão vulneráveis.

Para denunciar qualquer caso de violência sexual infantil, é necessário procurar o Conselho Tutelar, Delegacias Especializadas ou ligar para o Disque 100. Em Natal, também estão disponíveis os telefones 98870-3861 ou 98870-3327 que apuram situações de risco, vulnerabilidade e casos de violação de direitos humanos. O serviço é feito pela equipe de Abordagem Social da Semtas, durante o ano inteiro, de janeiro a dezembro, de segunda a sexta-feira, das 8h à meia noite. O anonimato é garantido.

RECOMENDAMOS

TECNOLOGIA NO JUDICIÁRIO

Corregedoria do RN adota sistema para eliminar papel

INDÚSTRIA DE BEBIDAS

Fiern participa de Intercâmbio de Lideranças Setoriais

MODERNIZAÇÃO

Justiça do RN inclui processos em sistema eletrônico

LIMINAR

Decisão de Toffoli é usada para derrubar processos

PARCERIA

Natal terá programa para erradicar analfabetismo

CONFIRA

Lista de espera do ProUni já está disponível

OUSADIA NA CRIMINALIDADE

PM apreende adolescentes após arrastão em restaurante

FIM DA LINHA

Acusado de crimes no RN morre em tiroteio com a PM

comentários