Geral

ANALFABETISMO

Natal vai aplicar “método Paulo Freire” para alfabetizar melhor jovens e adultos

Quase 50 mil pessoas são analfabetas na capital

Por Redação

22 de maio de 2019 | 16:37

Educação de Jovens e Adultos (EJA). Foto: Adrovando Claro

A Secretaria Municipal de Educação de Natal apresentou hoje (22) ao prefeito Álvaro Dias um novo projeto de alfabetização para a Educação de Jovens e Adultos (EJA), com metodologia diferenciada de ações desenvolvidas anteriormente, baseada na pedagogia do educador, pedagogo e filósofo brasileiro, Paulo Freire. O projeto é uma resposta ao prefeito, que solicitou a construção de um projeto de alfabetização para jovens, adultos e idosos, de modo a atingir um universo maior de natalenses fora da faixa escolar.

A proposta foi bem recebida pelo Chefe do Executivo natalense. “Através da perspectiva freiriana, iremos ampliar o desenvolvimento pessoal, social e intelectual das pessoas, bem como valorizar seus conhecimentos e suas experiências ao longo da vida”, disse. Ele ressalta que o projeto de alfabetização vai incluir pessoas analfabetas, que não tiveram acesso à alfabetização no tempo certo, estão fora da faixa escolar e também não participam das turmas da EJA.

Na tarde da segunda-feira (20), no gabinete da SME, aconteceu a apresentação do projeto piloto, com a participação do chefe do executivo e da t. A apresentação foi conduzida pela . Na ocasião, Edinara afirmou que o objetivo geral do projeto é promover a alfabetização de jovens, adultos e idosos, na perspectiva da  para superar o analfabetismo na cidade do Natal.

Durante a reunião com a titular da Educação, professora Cristina Diniz, a diretora do Departamento de Ensino Fundamental, Ednice Peixoto, e a chefe do Setor de Educação de Jovens e Adultos, Edinara Silva de Menezes, também foram apresentadas a metodologia e execução do programa, a estrutura organizacional, distribuição das turmas e os recursos financeiros. O município do Natal apresenta população de 803.739 pessoas e taxa de analfabetismo de 7,87%, representando quase 50 mil pessoas analfabetas na capital.

Pedagogia Freiriana

A educação é um ato político, que pode contribuir para a transformação social e a libertação dos oprimidos (Freire, 1981). Foi com essa perspectiva que o educador Paulo Freire acreditava que a alfabetização poderia ser um instrumento para liberar os oprimidos da condição de pobreza e inferioridade que viviam. A pedagogia freiriana, que visava o enfrentamento do analfabetismo da população em nosso país, nos anos 1960, deixou sua marca.

No seu programa de alfabetização ou na sua pedagogia, valorizava as palavras do mundo vocabular dos grupos populares, o lugar do ser humano no mundo e seu diálogo com o outro, o valor social do seu trabalho e sua capacidade de transformar a natureza e transformar-se. Além disso, formulou conceitos de conscientização, educação libertadora, cultura popular, círculo de cultura e pedagogia do oprimido.

RECOMENDAMOS

NEGÓCIOS

Pequenas empresas potiguares expõem no EEBA 2019

AVISO

Alerta: Ventos de 61 km/h podem atingir litoral do RN

TRÂNSITO

Natal: Faixas e semáforos priorizar pedestres, diz STTU

PRODUTO CONTROLADO

PF prende homem com 147 kg de produto usado em drogas

ALTERAÇÃO

Eduardo anuncia decreto sobre acordos internacionais

REFORMA TRIBUTÁRIA

Só simplificar sistema não resolve carga de impostos

REBANHO POTIGUAR

Vacinação contra brucelose é estendida até o fim do mês

TRATADO

Painelistas debatem sobre Acordo Mercosul-UE

comentários