Brasil e Mundo

AGRAVAMENTO DA CRISE

Opositores foram para o “tudo ou nada” na Venezuela, diz Mourão

Vice-presidente avalia que "não há mais recuo" na situação do país

Por Pedro Rafael Vilela/Agência Brasil

30 de abril de 2019 | 18:02

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, afirmou hoje (30), após reunião no Palácio do Planalto, que o autoproclamado presidente da Venezuela, Juan Guaidó, e o líder opositor Leopoldo López, foram para o “tudo ou nada” e que “não há mais recuo” na situação do país vizinho. Mourão prevê um agravamento da crise na região.

“O Guaidó e o Leopoldo López foram para uma situação que não tem mais volta. Não há mais recuo. Depois disso aí ou eles vão ser presos ou o Maduro vai embora. Não tem outra saída para isso aí”, afirmou.

Participaram da reunião para discutir a situação no país vizinho, além do presidente Jair Bolsonaro e do vice Hamilton Mourão, os ministros Ernesto Araújo (Relações Exteriores), Fernando Azevedo e Silva (Defesa) e Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional).

Intervenção

Mourão reafirmou que não existe possibilidade de eventual ação de intervenção militar na Venezuela. Ele disse que não há informações detalhadas sobre a real situação venezuelana, no momento, e que o governo brasileiro tem recebido informações do adido militar no país, “que são limitadas”.

“Tem que esclarecer a situação, que está confusa”, ressaltou o vice-presidente.

Mourão também enfatizou que o melhor desfecho para a Venezuela “é sempre a saída do Maduro”. O governo brasileiro reconhece Guiadó como presidente encarregado do país vizinho desde o início do ano.

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, admitiu que Juan Guaidó não dispõe de apoio militar no alto escalão das Forças Armadas venezuelanas, leais a Nicolás Maduro. “Temos a impressão que o lado de Guaidó é fraco militarmente”, disse.

RECOMENDAMOS

LUTO

Mundo político homenageia jornalista Allan Darlyson

OPERAÇÃO BROADWAY

PF investiga estelionato contra Caixa Econômica Federal

FUTEBOL

Tite afirma que seleção mereceu vaias na estreia

DINHEIRO

Governo do Estado inicia pagamento de junho na segunda

LUTO

Morre em Natal o jornalista Allan Darlyson

HOMOFOBIA CRIMINALIZADA

OAB vai excluir advogados agressores de LGBTI+

SEM CALOTE?

RN terá fórum de negociação com fornecedores

SEM ACORDO

Governo se reúne com policiais, mas parada está mantida

comentários