Economia

NÚMEROS

Pesquisa mostra que economia persiste em ‘fraco ritmo’ na retomada de investimentos

73% das indústrias potiguares consultadas planejavam investir ao longo do ano, mas apenas 59% conseguiram atingir esse objetivo.

Por Redação

19 de junho de 2019 | 11:42

Foto: José Paulo Lacerda

Apesar da saída da recessão em 2017, a economia persistiu em fraco ritmo de crescimento, que prosseguiu no final de 2018. A constatação é de uma Pesquisa Investimentos na Indústria, feita pela CNI em parceria com as Federações dos Estados. Os resultados mostram que, no início de 2018, 73% das indústrias potiguares consultadas planejavam investir ao longo do ano, mas apenas 59% conseguiram atingir esse objetivo.

No Rio Grande do Norte, o estudo constatou que as indústrias foram afetadas pelo recuo no acesso a financiamentos de bancos oficiais de desenvolvimento, de 24% para 16% entre 2016 e 2018. Isso foi amenizado pelo aumento na captação de recursos de bancos comerciais privados, de 2% para 7%.

Um aspecto que, de acordo com a pesquisa, deve ter contribuído para o recuo nas pretensões de investir diz respeito ao elevado índice de ociosidade da indústria potiguar, uma vez que 86% do total de entrevistados responderam que a capacidade produtiva atual de suas empresas está adequada para atender a demanda prevista para 2019. Isto significa que é possível aumentar a produção sem precisar adquirir mais máquinas e equipamentos.

Em 2018, três quartos da indústria, nacionalmente acabaram investindo, menos do que as 81% das empresas que afirmaram pretender investir no ano anterior. Das que investiram, pouco mais da metade (51%) não conseguiu realizar seu investimento como planejado.

A pesquisa aponta que a expectativa para 2019 é de aumento no investimento das empresas industriais. Quatro em cada cinco empresas (80%) planejam investir – percentual praticamente idêntico ao do ano passado, mas superior à intenção de investir entre 2015 e 2017. Os principais objetivos do investimento previsto para 2019 são a melhoria do processo produtivo (36%) e o aumento da capacidade da linha atual (22%)

Alguns dos principais números da pesquisa:

59% das empresas investiram em 2018, contra 58% de 2017. Porém, em 2013 o percentual foi de 81%;

75% dos investimentos realizados em 2018 foram financiados com capital próprio, contra 71% em 2017 e 67% em 2016;

16% dos investimentos foram financiados por bancos públicos de desenvolvimento, ante 22% em 2017 e 24% em 2016;

67% das empresas apontaram que a regulação ou burocracia limitaram suas decisões de investimento em 2018;

64% das indústrias consultadas planejam investir em 2019, contra 73% da pesquisa de 2017;

86% das empresas potiguares declararam que sua capacidade instalada atual está adequada para atender à demanda esperada para 2019; na pesquisa de 2017 eram 84%;

52% das empresas pretendem direcionar os investimentos de 2019 para a inovação, das quais, 25% na melhoria do processo produtivo atual, 18% em novos produtos e 9% em novos processos produtivos.

RECOMENDAMOS

LUTO

Ex-piloto de Stock Car morre após acidente aéreo no NE

BANG BANG

Homens são mortos pela PM após série de assaltos na ZN

CASOS DE POLÍCIA

Condenado homem que tentou matar irmão por cerveja

CONGRESSO

Senado pode concluir votação da PEC Paralela à Reforma

PODER

RN será governado pelo vice de Fátima até 4 de dezembro

MEIO AMBIENTE

Em 78 dias, óleo avança e desafia investigação

POLÍCIA CIVIL

Protesto deixa RN com um delegado para 38 cidades

Wordpress Post 1573831158 9739866

comentários