Economia

NÚMEROS

Pesquisa mostra que economia persiste em ‘fraco ritmo’ na retomada de investimentos

73% das indústrias potiguares consultadas planejavam investir ao longo do ano, mas apenas 59% conseguiram atingir esse objetivo.

Por Redação

19 de junho de 2019 | 11:42

Foto: José Paulo Lacerda

Apesar da saída da recessão em 2017, a economia persistiu em fraco ritmo de crescimento, que prosseguiu no final de 2018. A constatação é de uma Pesquisa Investimentos na Indústria, feita pela CNI em parceria com as Federações dos Estados. Os resultados mostram que, no início de 2018, 73% das indústrias potiguares consultadas planejavam investir ao longo do ano, mas apenas 59% conseguiram atingir esse objetivo.

No Rio Grande do Norte, o estudo constatou que as indústrias foram afetadas pelo recuo no acesso a financiamentos de bancos oficiais de desenvolvimento, de 24% para 16% entre 2016 e 2018. Isso foi amenizado pelo aumento na captação de recursos de bancos comerciais privados, de 2% para 7%.

Um aspecto que, de acordo com a pesquisa, deve ter contribuído para o recuo nas pretensões de investir diz respeito ao elevado índice de ociosidade da indústria potiguar, uma vez que 86% do total de entrevistados responderam que a capacidade produtiva atual de suas empresas está adequada para atender a demanda prevista para 2019. Isto significa que é possível aumentar a produção sem precisar adquirir mais máquinas e equipamentos.

Em 2018, três quartos da indústria, nacionalmente acabaram investindo, menos do que as 81% das empresas que afirmaram pretender investir no ano anterior. Das que investiram, pouco mais da metade (51%) não conseguiu realizar seu investimento como planejado.

A pesquisa aponta que a expectativa para 2019 é de aumento no investimento das empresas industriais. Quatro em cada cinco empresas (80%) planejam investir – percentual praticamente idêntico ao do ano passado, mas superior à intenção de investir entre 2015 e 2017. Os principais objetivos do investimento previsto para 2019 são a melhoria do processo produtivo (36%) e o aumento da capacidade da linha atual (22%)

Alguns dos principais números da pesquisa:

59% das empresas investiram em 2018, contra 58% de 2017. Porém, em 2013 o percentual foi de 81%;

75% dos investimentos realizados em 2018 foram financiados com capital próprio, contra 71% em 2017 e 67% em 2016;

16% dos investimentos foram financiados por bancos públicos de desenvolvimento, ante 22% em 2017 e 24% em 2016;

67% das empresas apontaram que a regulação ou burocracia limitaram suas decisões de investimento em 2018;

64% das indústrias consultadas planejam investir em 2019, contra 73% da pesquisa de 2017;

86% das empresas potiguares declararam que sua capacidade instalada atual está adequada para atender à demanda esperada para 2019; na pesquisa de 2017 eram 84%;

52% das empresas pretendem direcionar os investimentos de 2019 para a inovação, das quais, 25% na melhoria do processo produtivo atual, 18% em novos produtos e 9% em novos processos produtivos.

RECOMENDAMOS

PREVIDÊNCIA

Fiern defende agilidade na aprovação da reforma

PROGRAMAÇÃO

Memorial relembra 30 anos da Constituição do RN

ADEUS RUIVO!

Marina Ruy Barbosa é mais nova loira do pedaço

DIFICULDADE

CNI: aumenta preocupação com falta de demanda

PARCERIA

Convênio levará serviços do INSS para o RN

PREVENÇÃO

Defesa Civil vai tratar emergências e desastres no RN

RETA FINAL DA SÉRIE C

ABC mantém promoção e jogo terá ingressos a R$ 5

CONTINGENCIAMENTO

Governo bloqueia mais R$ 1,44 bilhão do Orçamento

comentários