Economia

PARNAMIRIM

Pesquisa traça perfil do folião e comerciante do Carnaval de Parnamirim

Pesquisa ouviu 552 pessoas no período de 1º a 5 de março de 2019

Por Redação

24 de maio de 2019 | 09:23

Foto: Divulgação/Prefeitura de Parnamirim

Pesquisa realizada pelo Sistema Fecomércio aponta o Carnaval de Parnamirim como um grande potencial turístico e econômico, gerando emprego e renda para o município. A pesquisa, que traça o perfil dos foliões e dos comerciantes (ambulantes) da folia de Momo no município, foi apresentada ao prefeito Rosano Taveira e demais autoridades, pelo diretor executivo da Fecomércio, Jaime Mariz. A apresentação foi realizada, nessa quinta-feira (23), no Centro Administrativo Aluízio Alves.

“O estudo foi contratado pela administração com o objetivo de permitir um melhor planejamento dessa tradicional festa. A ideia é, com base nesses resultados, traçar inclusive o perfil do frequentador do nosso litoral, investindo para que tenhamos um Carnaval cada vez mais grandioso”, destacou Taveira.

A pesquisa ouviu 552 pessoas no período de 1º a 5 de março de 2019. De acordo com os dados do relatório, 54,7% do público participante da festa foi formado por homens, enquanto 45,3% por mulheres, de todas as idades. Sendo predominante a faixa etária entre 25 e 34 anos, representando 26,4% do público presente.

Do total de entrevistados, 94% recomendaria o Carnaval para outras pessoas e 66,7% disse pretender voltar, sendo 8,65 a nota média conferida ao Carnaval de Parnamirim pelos participantes da pesquisa.

Os dados da análise evidenciam ainda que 36,6% das pessoas ouvidas afirmaram ter participado do Carnaval no município pela primeira vez, sendo 57,1% o total de turistas. Dos que vieram de outros estados, destaque para: Paraíba (PB), Pernambuco (PE), São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Minas Gerais (MG) e Ceará (CE).

Entre os turistas, o gasto médio diário individual ficou na casa dos R$ 129,40 e entre os nativos, o gasto diário com o Carnaval foi de R$ 52,65 em média.

No quesito empregabilidade, a pesquisa ouviu 170 comerciantes, sendo 63,5% do grupo formado por homens e 36,5% por mulheres. 67,6% afirmaram que o Carnaval teve impacto positivo sobre seus negócios.

Um percentual de 35% dos comerciantes atuaram pela primeira vez e 66,5% já haviam atuado em anos anteriores. Em média cada negócio empregou três pessoas e o investimento médio feito por cada comerciante visando o Carnaval foi de R$ 2.809,79.

Os gráficos mostram ainda que 31,8% dos comerciantes entrevistados contrataram funcionários extras. Entre os que contataram, a média foi de dois empregados extras por negócio.

Jaime Mariz, diretor executivo da Fecomércio destacou a importância da pesquisa como uma ferramenta para que a prefeitura possa investir ainda mais no Carnaval do município. “Carnaval significa cultura, lazer e negócio, que gera renda, imposto e desenvolvimento”, disse.

Na ocasião, também foi apresentada a metodologia do programa DEL – Desenvolvimento Econômico Local. Parnamirim é uma das cinco cidades do Rio Grande do Norte a participar da metodologia que apresentará os cenários de desenvolvimento do município para os próximos 20 anos.

RECOMENDAMOS

RISCO PARA ECONOMIA

Indústria do sal aponta prejuízos de portaria do ICMBio

DE SAÍDA

No último dia, Dodge contesta decisões de Bolsonaro

INCÊNDIO FLORESTAL

Bombeiros neutralizam mais focos de incêndio em Patu

PREVIDÊNCIA

PMs podem integrar reforma de militares

NOITE DE TERROR

Homens rendem vítimas e fazem arrastão em casa

PREVENÇÃO

Vacina da dengue está na última fase de testes

FIM DA GREVE

Paralisação parcial dos Correios é suspensa

FORÇA TAREFA

Bombeiros reforçam combate a incêndio em Patu

comentários