Geral

BRAÇOS CRUZADOS

PM entra em greve nesta segunda por reajuste ‘impossível’ de 60%

Governo do Estado apresentou, sem sucesso, outras propostas; confira

Por Redação

16 de junho de 2019 | 10:25

Foto: Divulgação/Governo do RN

Nesta segunda-feira, 17, bombeiros e policiais militares iniciam uma paralisação para reivindicar, entre outros pontos, um déficit salarial que chega a 60,48% – de acordo a categoria. Atualmente, de acordo com especialistas, o Estado não tem condições de atender esse reajuste. Por isso, o Governo do RN apresentou outras propostas para evitar a ‘greve’, mas sem sucesso.

A última tentativa de acordo foi uma reunião na sexta-feira, 14,  entre os representantes dos militares e os secretários de Planejamento e Finanças, Aldemir Freire; e de Administração, Virgínia Ferreira. De acordo com o subtenente Eliabe Marques, presidente da Associação dos Subtenentes e Sargentos, “tentamos de todas as formas, porém o Governo continua resistindo com a alegação da crise fiscal, mas que só existe para alguns setores”, expõe.

Mas o que o Estado apresentou diante da impossibilidade de contornar um déficit de 60,48%?

O Governo apresentou a proposta de criação de um Grupo de Trabalho para reestruturação de carreiras da Polícia Militar visando, em um processo gradual, corrigir distorções com relação a outras carreiras da área da Segurança Pública. Atualmente, já existe equiparação de carreira entre policiais e bombeiros militares, mas há diferenças com relação à Polícia Civil. “Realmente precisamos acabar com as distorções. O Governo tem o compromisso técnico e político para trabalhar essa questão”, destacou a secretária Virgínia Ferreira.

O secretário Aldemir Freire pontuou que o Governo do Estado, mesmo em estado de calamidade financeira, prioriza o pagamento da Polícia Militar e de todos os agentes de segurança pública do Rio Grande do Norte, quitando os salários integrais dentro do mês trabalhado e sempre na primeira data marcada pela equipe econômica.

“Estamos pagando a todos da segurança pública, ativos e inativos, em meados do mês. É um esforço grande para honrar o acordo, assim como para manter a Polícia na rua com o pagamento das diárias operacionais. São R$ 3 milhões por mês somente com diárias”, destacou o titular da Secretaria de Estado do Planejamento e das Finanças (Seplan).

Freire ainda destacou o compromisso do Governo com a contratação de mil policiais militares, recentemente aprovados em concurso, e a montagem de um calendário para promoções de carreira. “O impacto dessa contratação será de R$ 40 milhões por ano. O Governo está priorizando áreas vitais e sabemos que é necessário também trabalhar com a recomposição salarial, dentro daquilo que temos condição e capacidade de fazer, e montar um calendário que encaminhe as promoções dos policiais e bombeiros”, completou o secretário.

 

RECOMENDAMOS

MÚSICA

'Hoje tem Samba no Beco' recebe Andiara Freitas

DESAFIO

Campeonato gamer reúne 150 competidores

AGENDA

Curso de segurança pública e mediação policial em Natal

MEIO AMBIENTE

Torneio de rinhas de galo tinha até motos na premiação

POLÍCIA

Homens em carro roubado morrem após perseguição da PM

TRANSPORTE DE CARGAS

ANTT publica novas regras para cálculo do frete mínimo

DESATIVADDA

Saiu a sentença de recuperação judicial da Multidia

DIÁLOGO

AGN-RN e IMD discutem parceria para startups potiguares

comentários