Geral

CASO ZAIRA

Policial é denunciado por morte de Zaira Cruz pelo Ministério Público

Órgão pede júri popular e acusa de crimes de estupro e homicídio quadruplamente qualificado

Por Redação

2 de abril de 2019 | 16:30

Zaira Cruz e Pedro Inácio. Reprodução

O policial militar Pedro Inácio Araújo de Maria foi denunciado à Justiça Potiguar pelo Ministério Público Estadual (MPRN) pelos crimes de estupro e homicídio quadruplamente qualificado pela morte da estudante Zaira Dantas Silveira Cruz, ocorrida no dia 2 de março passado, na cidade de Caicó. O órgão quer submetê-lo a julgamento pelo Tribunal do Júri Popular da comarca de Caicó, em que deverá ser condenado. Pedro Inácio continua preso no Comando-Geral da Polícia Militar.

A denúncia foi protocolada no Juízo da 3ª vara da comarca de Caicó nesta terça-feira (2) e requer que o processo tenha prioridade de tramitação, conforme prevê o Código de Processo Penal, uma vez que se trata de crime hediondo. A Promotoria de Justiça também requer que a Justiça determine a intimação do denunciado para comparecer à audiência de instrução, em que deverão ser inquiridos os declarantes e testemunhas, esclarecimentos dos peritos, para interrogar o denunciado, seguindo-se a ação penal.

Para o MPRN, ficou demonstrado que o crime de homicídio praticado por Pedro Inácio também teve por objetivo assegurar a ocultação do crime sexual praticado contra a vítima, uma vez que, caso não tivesse sido assassinada, Zaira Cruz comunicaria o crime de estupro às autoridades policiais.

“Os indícios formam um corpo robusto, uníssono, concatenado e que aponta para o denunciado como sendo o autor do delito”, destaca o MPRN na denúncia. A prova objetiva da materialidade dos crimes de estupro e homicídio qualificado emergem dos depoimentos constantes dos autos, do Relatório de Local de Encontro de Cadáver, do Boletim de Ocorrência, do Laudo de Exame de Conjunção Carnal, do Laudo de Exame de Ato Libidinoso e do Laudo de Exame Necroscópico, todos inclusos no Inquérito Policial.

O crime

Segundo o inquérito policial do caso, na madrugada do dia 2 de março de 2019, sábado de carnaval, entre 2h14 e 4h, em local ainda não esclarecido, no interior do veículo, o Pedro Inácio constrangeu Zaira Cruz, mediante violência física extrema, com chutes, agressões e imobilização, e a estuprou.

Em seguida, o denunciado assassinou a vítima mediante asfixia por esganadura, com o objetivo de assegurar a ocultação do crime sexual, tendo agido à traição e movido por razões da condição do sexo feminino da vítima.

RECOMENDAMOS

OESTE POTIGUAR

Mutirão de emissão de documentos chega em Apodi

ESTATÍSTICA

RN tem frota superior a 1,3 milhão de veículos

CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO

Senai-RN abre mais de 1.700 vagas gratuitas

CONHECIMENTO DELICIOSO

Festa junina é aula de gastronomia e história

DESAFIOS DO DIA A DIA

Papel das micro empresas sé tema de seminário da CNI

LDO 2020

Emendas preveem 1º Centro de Exame por Imagem de Natal

LOTERIA

Mega-Sena sorteia R$ 6,2 milhões nesta quarta-feira

INTEGRAÇÃO SOCIAL

Saque do abono salarial do PIS 2018/2019 vai até sexta

comentários