Economia

PROEDI

Prefeitos ameaçam abrir processo contra decreto da governadora

Governadora marcou nova reunião para o dia 11 de outubro

Por Ayrton Freire

24 de setembro de 2019 | 13:49

Foto: Cedida

A governadora marcou para o dia 11 de outubro uma reunião com prefeitos potiguares que afirmam estarem sofrendo com redução do ICMS do Governo do Estado para os municípios. A informação foi repassada pelo prefeito de Macau, Túlio Lemos, um dos gestores recebidos por Fátima Bezerra para uma reunião que durou cerca de três horas e que foi iniciada após protesto na Governadoria. Os executivos municipais ameaçam judicializar a questão, se não houver acordo no próximo encontro

“Foi pedido a suspensão do decreto (que institui o PROEDI). A governadora não cedeu a isso, mas marcou uma reunião para o dia 11 de outubro, antes do novo corte que seria entre o dia 15 e o 17”, disse Lemos depois de citar que uma parcela do ICMS pago pelo Estado teria sido debitada.

De acordo com o prefeito, ele e os colegas sugeriram “que o governo poderia fazer esse corte para o próximo ano, de forma escalonada”.

“Os municípios não foram ouvidos e estão, realmente, no prejuízo. Vão perder recursos num momento de crise, de receita baixa. O prefeito de Natal apontou uma perda mensal de R$ 2 milhões”, disse Túlio Lemos.

“Se não houver um acordo, por parte do Governo, os municípios vão entrar com uma ação coletiva coordenada pela Femurn”, anunciou o gestor citando a Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte.

RECOMENDAMOS

NEGOCIAÇÃO

Proposta para reforma tributária pode abrir diálogo

EXPOSIÇÃO JURÁSSICA

Museu abre exposição sobre dinossauros da Bacia do RN

ANATEL CONSUMIDOR

Aplicativo da Anatel facilita queixas contra operadoras

NATAL EM NATAL

Árvore de Mirassol será acesa nesta quarta-feira

DOE VIDA

Julinho precisa de sangue para cirurgia cardíaca

VIVI E CHICLETE

Clima esquenta entre Paolla Oliveira e Sergio Guizé

BONECA DROGADA

Polícia prende homens com boneca cheia de drogas

NEGOCIAÇÃO

Devedores do Estado quitaram R$ 35,26 milhões em um ano

comentários