Geral

PESQUISA

Procon constata aumento nos preços dos combustíveis em Natal

Gasolina comum e a aditivada subiram 0,84% e 0,53%

Por Redação

11 de julho de 2019 | 15:37

Foto: Wellington Rocha/Arquivo/Portal No Ar

Os postos de combustíveis de Natal alteraram para cima os preços praticados na capital potiguar. A exceção foi o Etanol, que teve uma redução média de 1,26% nas bombas, em junho e, em julho, de 0,23%. Dentre os demais combustíveis, o diesel comum teve a maior variação positiva, com 1%. A gasolina comum e a aditivada subiram 0,84% e 0,53% respectivamente.O diesel S-10 teve variação de 0,37%. E o gás veicular ficou mais caro 0,13%. Os números são do Instituto Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor de Natal – PROCON NATAL, tabulados no dia 08 de julho de 2019, com dados obtidos após pesquisas em 70 pontos de venda.

Segundo o Procon Natal, ao fim do primeiro semestre, os combustíveis tiveram variações positivas na cidade. O etanol com o acumulado de 21,26%, seguido pelo diesel comum e o S-10 com 13,06% e 12,13% respectivamente. Para a gasolina comum e a aditivada as pesquisas encontrou um acumulado de 6,41% e 10,84% respectivamente. O gás veicular teve seu acumulado encontrado pela pesquisa de 6,89%.

Em relação às regiões da capital, a zona Oeste é a que apresenta a menor média de preços para o etanol (R$ 3,681), diesel comum (R$ 3,675), diesel S-10 (R$ 3,810) e o gás veicular (R$ 3,513). A gasolina comum apresenta números melhores para o consumidor na região Sul com R$ 4,535. A região Norte e a que tem a melhor média de gasolina aditivada com R$ 4,627. A região mais cara é a Leste onde foram encontrados os maiores preços médios de gasolina aditivada (R$ 4,627), diesel comum (R$ 3,675) e o S-10 (R$ 3,810), além do gás veicular R$ 3,513. A gasolina comum a maior média encontrada pela pesquisa foi na região Norte com R$ 4,589. Já a região com o maior preço médio do etanol foi a Sul com R$ 3,734.

O Procon Natal aconselha os consumidores a realizarem pesquisas constantes no momento de abastecerem seus veículos. Os números da pesquisa apontam que esse tipo de atitude é necessário uma vez que a variação de preços entre os postos de combustíveis e entre as regiões da cidade é muito grande.

ANÁLISE DE DADOS

GASOLINA

A gasolina teve redução em 45,76% dos postos pesquisados e 42,9% reajustaram seus preços a maior e apenas 7,1% dos postos permaneceram com os mesmos preços da pesquisa anterior do dia 24 de junho. Para o diesel, a pesquisa encontrou que apenas 8,6% dos postos pesquisados reduziram seus preços em relação ao mês junho e 25,7% aumentaram seus preços, o percentual dos postos que permaneceram com os mesmos preços entre a pesquisa de julho e junho foi de 22,9%. Para o etanol, o único combustível que teve redução entre os demais, 35,7% dos postos pesquisados tiveram redução, 20% tiveram seus preços reajustados e 38,6% permaneceram com os mesmos preços da pesquisa do dia 24 de junho.

A gasolina comum mais barata encontra-se na região sul que apresentou o menor preço médio dentre as quatro regiões pesquisadas com, R$ 4,535. Mas os menores preços foram encontrados na região Oeste de R$ 4,440, em postos nos bairros de Cidade Nova e Cidade da Esperança. Já o maior preço da gasolina comum foi constatado na região Norte, com o preço de R$4,697 nos bairros de Igapó e Redinha.

GÁS VEICULAR

O Gás Veicular, acompanhou os demais combustíveis com variação positiva. Na pesquisa anterior no mês o preço encontrado pela pesquisa foi de R$ 3,538 em média, e no mês de julho o preço médio encontrado foi de R$ 3,543, e isso equivale a uma redução de (R$ -0,005) centavos de reais por litro, a variação é de (0,13%), já entre o maior preço encontrado pela pesquisa foi de R$ 3,699 e o menor preço de R$ 3,490 o mesmo do mês anterior e isso equivale a uma variação de 5,73% e R$ -0,209 centavos de reais.

O menor preço constatado pela pesquisa foi de R$ 3,490 na zona oeste, nos bairros de Felipe camarão e bairro Nordeste, na zona norte também nos bairros de Potengi e Igapó. Mas a menor preço foi na região o oeste com R$ 3,810. O maior preço encontrado foi de R$ 3,690 na zona leste no bairro de Petrópolis, sendo também a região com o maior preço médio dentre as regiões pesquisadas com R$ 3,918.

ETANOL

O etanol teve variação negativa em relação aos demais pesquisados e seguindo a mesma tendência do mês de junho onde nas duas pesquisas teve variação negativa, onde de maio para junho a variação foi de (-2,63%) e entre a primeira de junho no dia 03 e a segunda no dia 24 continuou em queda de 1,39%. Essa variação negativa encontrada no etanol é atribuída pelo final da entre safra da cana-de-açúcar, onde mesmo sendo a produção do estado menor que o consumo, nessa época o etanol que vem da região centro-oeste e estados vizinhos é menor.

O etanol, apresentou variação de 14,53% no comparativo entre o maior e o menor preço no mês de julho, entre os meses pesquisados de junho sendo a segunda pesquisa e julho a variação foi negativa em (-0,23%) e isso equivale a uma diferença (R$ -0,008) centavos de reais por litro. A região com a maior média encontrada pela pesquisa foi a região sul com R$ 3,734 o maior preço encontrado foi de R$ 3,997 na região norte, no bairro da Redinha, já o menor preço encontrado foi também na região norte de R$ 3,490 no bairro de Potengi.

DIESEL COMUM

Para o diesel comum o percentual encontrado nas bombas pela pesquisa foi de 1%, sendo o mais alto em relação aos demais pesquisados uma vez que todos ficaram abaixo da porcentagem encontrada pela pesquisa. O preço médio no mês de julho de R$ 3,733 e a média do mês anterior na segunda pesquisa de junho foi de R$ 3,696 e isso representa um aumento de (R$ 0,037) centavos de reais por litro. O maior preço encontrado foi de R$ 3,997 no bairro de Igapó, na região Norte, e o menor preço foi de R$ 3,450 nos bairros de Cidade Nova e Cidade de Esperança, na zona Oeste, o que equivale a uma variação de 15,86% e uma diferença de R$ 0,547. A região com o maior preço médio do diesel comum encontrado pela pesquisa foi a Leste com R$ 3,762, e a região com menor preço médio foi a Oeste, com R$ 3,810.

O PROCON Natal orienta aos consumidores para consultarem na íntegra a pesquisa mensalmente realizada e divulgada em www.natal.rn.gov.br/procon.

RECOMENDAMOS

PLANO DIRETOR NO AR

Câmara retoma Fórum do Plano Diretor na segunda-feira

PREVISÃO

Lula diz que PT vai polarizar eleições em 2022

PARA A CHINA

Após acordo, melão produzido no RN pode ser exportado

SEGURO RETIRADO

Em dez anos, DPVAT indenizou mais de 391 mil por morte

VERSÃO MAROMBA

Gracyanne e Belo viram personagens de 'Os Simpsons'

FINALISTA

Grupo do RN na final da Olimpíada da Língua Portuguesa

VAGA DE EMPREGO

Realeza procura faxineiro real para ganhar R$ 80 mil

ANÁLISE DE RESÍDUO

Marinha desloca navio de pesquisa para o Nordeste

comentários