Economia

PRODETER

Programa do Banco do Nordeste ajuda na retomada da bovinocultura leiteira do RN

Prodeter já realizou várias ações de capacitação para produtores

Por Redação

12 de fevereiro de 2019 | 13:25

Foto: Divulgação

As previsões dos meteorologistas apontam para um período chuvoso acima da média na região do Semiárido potiguar. O que já seria uma boa notícia para os sertanejos, ganha ares de graça divina depois de sete anos seguidos de seca e coincide com a maturação do Programa de Desenvolvimento Territorial do Banco do Nordeste. O Prodeter atua na organização e fortalecimento da bovinocultura de leite nos territórios do Seridó e do Alto Oeste e, somente em 2018, contratou R$ 2,35 milhões com 154 produtores rurais.

Para dar uma ideia da importância do apoio à atividade nas duas regiões, os números representam avanço de 56% dos recursos concedidos em relação a 2017, e 175% na comparação com 2016, quando o Programa foi lançado. Desde então, o Prodeter vem sendo desenvolvido pelo Banco em parceria com diversas instituições e órgãos públicos, além de associações comunitárias, ONGs com atuação no campo, cooperativas e sindicatos.

Por sua abrangência, a iniciativa do BNB converge com outros projetos de parceiros, como o ‘Sertão Empreendedor’, do Serviço Nacional de Aprendizado Rural (Senar), e o ‘Leite e Genética’ e ‘Inova Pecuária’, executados pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Rio Grande do Norte (Sebrae-RN). Em comum, todos objetivam o fortalecimento da atividade rural.

Apesar das dificuldades enfrentadas com a estiagem prolongada, os agentes do Banco do Nordeste constataram que os produtores estão buscando uma maior sustentabilidade da atividade, através da adoção de técnicas de melhor convivência com o Semiárido. Os investimentos na construção de barragens submersas, perfuração de poços, suporte forrageiro e melhoramento genético do rebanho vêm para corrigir uma peculiaridade ainda persistente, que é baixa produtividade do setor.

O Prodeter já realizou várias ações de capacitação para produtores ainda carentes de informação e conhecimento. Inseminação artificial, genética do leite, cultivo de palma forrageira, manejo alimentar para bovinos e produção e conservação de forragem estão entre os assuntos abordados em cursos, palestras e dias de campo. A bovinocultura de leite é a atividade agropecuária que mais demanda crédito e está presente em todos os municípios do Seridó e Alto Oeste Potiguar.

“Por ser uma estratégia que busca organizar, fortalecer e aumentar a competitividade das cadeias produtivas priorizadas, mediante a construção de um plano de ação para os territórios, inclusive com a participação e o empoderamento de comitês gestores, e até pelos resultados obtidos, percebemos que estamos no caminho certo”, avalia o gerente de Desenvolvimento Territorial do Banco do Nordeste, Agnelo Peixoto Neto.

RECOMENDAMOS

Chuvas no RN

Operação conjunta socorre população

LOTERIA

Mega-Sena acumula; próximo sorteio será de R$90 milhões

TORÓ

Ponte desaba, carro é arrastado e cidade fica 'isolada'

OBRA DE R$4,1 MILHÕES

Sabe como está reforma do Forte dos Reis Magos? Parada

ROLÉ DIFERENCIADO

Bolsonaro 'escapa' de hotel para dar voltinha de moto

INFORMAÇÃO NUTRICIONAL

Veja essas dicas e coma chocolate sem culpa na Páscoa

OPERAÇÃO PELA VIDA

PMs impedem suicídio na Ponte

AUTOMÓVEL

Carros brasileiros ficam mais seguros e mais caros

comentários