Política

NO SENADO

Reforma da Previdência não fará redução abrupta de déficit, mas alivia

Rogério Marinho defendeu a reforma em sessão de debates

Por Daniel Weterman

10 de setembro de 2019 | 17:44

Foto: Reprodução/Twitter

O secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, fez uma defesa enfática da reforma da Previdência em sessão de debates no Senado, nesta terça-feira, 10. Ele destacou que a reforma, como está proposta no relatório de Tasso Jereissati (PSDB-CE), representa uma economia de R$ 876 bilhões em dez anos e não vai significar uma redução imediata no déficit previdenciário, mas um alívio no orçamento.

Em 2018, o déficit previdenciário da União foi de R$ 265 bilhões em 2018. A previsão do governo para 2019 é de um resultado negativo em R$ 294,9 bilhões. “Feita a reforma, não significa que haverá uma diminuição abrupta ou paralisação do déficit previdenciário. Apesar disso, vai diminuir o déficit até estancar, o que vai significar um alívio no orçamento. Isso é o que queremos e isso é o que perseguimos”, discursou Marinho.

Após a sessão de debates, o Senado fará uma sessão extraordinária que abrirá para discussão da proposta. Com isso, começa a contar o prazo de cinco sessões deliberativas necessárias para a votação do primeiro turno da reforma – programada para o dia 24. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), quer antecipar o calendário, mas não encontra consenso entre líderes partidários.

RECOMENDAMOS

CORRIDA

Maratoninha Natal começa entrega de kits

FEIRA DE NEGÓCIOS

Fecomércio levará experiências tecnológicas à Feneciti

SENHORA DA APRESENTAÇÃO

Fiéis recebem imagem da padroeira em missa ao amanhecer

INVESTIGAÇÃO

Assessores de Carlos voltam a depor no caso Marielle

DED NATAL

DED Nordeste divulga programação para Natal

IV FÓRUM ONSHORE

SENAI e CTGAS-ER debatem futuro do setor de petróleo

POLÍTICA

Bolsonaro cria nova estatal para substituir Infraero

SORTEIO

Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 31 milhões no sábado

comentários