Brasil e Mundo

CRONOLOGIA DO ATENTADO

Saiba como aconteceu o ataque à escola Raul Brasil em Suzano

Atentado deixou dez pessoas mortas e onze feridas

Por Redação

14 de março de 2019 | 11:22

Foto: Reprodução

O atentado à Escola Estadual Raul Brasil, no município de Suzano, em São Paulo, tomou a atenção de todo o Brasil nesta terça-feira (13). O episódio ainda repercute, com manifestações de opinião de personalidades e autoridades e desdobramentos de como e por que o atentado aconteceu.

Os autores do ataque eram ex-alunos da Raul Brasil, vizinhos e amigos. Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique Castro, 25, estavam munidos com um revólver calibre 38 e quatro carregadores, além de machadinhas, coquetéis molotov, arco e flecha e uma besta (arma medieval semelhante ao arco e flecha).

Cronologia do ataque

Por volta das 9h30, Guilherme e Luiz Henrique atacaram o dono de um lava jato que fica a 350 metros da escola. O rapaz era tio de Guilherme e teria descoberto o plano dos dois. Ele foi socorrido, mas não resistiu e morreu no hospital.

Imagens de câmeras de segurança na entrada da escola mostram a ação dos comparsas.

Ao entrar na escola, Guilherme sacou o revólver e atirou contra um grupo de pessoas que estavam na entrada do colégio. A coordenadora pedagógica Marilene Ferreira Umezu e outra funcionária morreram no local.

Em seguida, o atirador foi até o pátio da escola, quando Luiz Henrique entrou no colégio e golpeou com a machadinha as primeiras vítimas. Chegando no pátio, onde estavam alunos do ensino médio em horário de intervalo, Guilherme atirou contra outro grupo de pessoas, matando quatro adolescentes.

Fugindo dele, jovens que estavam no pátio correram para a entrada da escola, onde Luiz Henrique ainda estava. As imagens mostram o ex-aluno tentando atingir o grupo. A machadinha só deixou de ser usada quando ele golpeou um aluno que ficou com a arma presa no ombro, mas conseguiu fugir e buscar ajuda em um hospital a 300 metros da escola.

Os dois foram para o centro de línguas, em outro andar. Lá, professora e alunos se trancaram em uma sala para se protegerem.

De acordo com o comandante-geral da Polícia Militar de São Paulo, quando os policiais chegavam ao colégio, Guilherme atirou contra Luiz Henrique no corredor e, em seguida, contra si mesmo.

Vítimas

Morreram os estudantes Kaio Lucas da Costa Limeira, Cleiton Antonio Ribeiro, Caio Oliveira, Samuel Melquiades Silva de Oliveira e Douglas Murilo Celestino e as funcionárias Marilena Ferreira Umezu e Eliana de Oliveira Xavier.

Onze pessoas ainda ficaram feridas, em sua maioria estudantes: Adna Isabella Bezerra de Paula, de 16, Anderson Carrilho de Brito, 15, Beatriz Gonçalves Fernandes, 15, Guilherme Ramos do Amaral, 14, Murilo Gomes Louro Benite, 15, José Vitor Ramos Lemos, Jenifer Silva Cavalcanti, Leonardo Martinez Santos, Leonardo Vinicius Santa Rosa, 20, Leticia de Melo Nunes e Samuel Silva Felix.

RECOMENDAMOS

SEGURANÇA

Centro de Comando da Sesed vai monitorar manifestação

TÁ SUJA

Praias em Natal continuam impróprias para banho. Veja.

SEGUE

Veja como é a reforma administrativa aprovada na Câmara

CONGRESSO

Encontro elegerá direção do PSB/Natal visando eleições

AGENDA ECONÔMICA

Fecomércio mostra potencial econômico do RN na Alemanha

FLOPOU

Poucos comparecem e manifestação vira panfletagem

PRÊMIOS

Mega Sena pode pagar R$ 3 milhões neste sábado

IMPRUDÊNCIA

Bêbado foge de blitz e quase atropela pedestres

comentários