Esportes

'FATOR NEYMAR'

Sem Neymar, seleção brasileira tem aproveitamento de pontos 10% menor

Camisa 10 representa fator diferencial para a equipe

Por Ciro Campos

10 de junho de 2019 | 14:42

Foto: Bruno Domingos/Mowa Press

A seleção brasileira vai estrear na Copa América na sexta-feira (14), diante da Bolívia, no Morumbi, sem contar com seu principal jogador, Neymar, e com a responsabilidade de desafiar a queda de rendimento que geralmente apresenta quando ele não está em campo. Desde a estreia do camisa 10 pela equipe, há quase nove anos, o Brasil disputou 123 partidas e obteve um aproveitamento de pontos 10% menor quando ele não esteve no time.

O chamado “fator Neymar” representa um diferencial considerável na história recente da seleção brasileira. A partir da estreia dele com a camisa amarela, em agosto de 2010, contra os Estados Unidos, o Brasil conquistou 76% de aproveitamento dos pontos. Já no recorte comparativo entre as partidas com e sem a presença dele a importância do jogador fica mais evidente.

Quando Neymar participou dos jogos, a seleção brasileira alcançou 78% de aproveitamento. Sem ele, o rendimento reduz 10 pontos percentuais e vai para 68%. A dependência do talento do Neymar desafia o técnico Tite na montagem da equipe para a Copa América. Com o principal jogador fora da equipe por se recuperar de lesão no tornozelo direito, além de problemas com uma acusação de agressão e estupro, a seleção vai precisar se reinventar.

Para o técnico Tite, a dificuldade em suprir a ausência de Neymar não assusta. “Uma equipe campeã se constrói durante a competição, ela aprende durante a competição, passa por adversidades, se confirma durante a competição, a cada passo, a cada jogo”, explicou o treinador no domingo, após o Brasil golear Honduras por 7 a 0 sem contar com a presença do atacante

O camisa 10 tem um currículo de poucas derrotas com a camisa da seleção brasileira. Neymar só perdeu duas vezes em jogos oficiais pela equipe: para a Colômbia, na Copa América de 2015, e na eliminação diante da Bélgica na última Copa do Mundo. Dentro do Brasil, a seleção jamais sofreu uma derrota quando escalou o atacante.

Ele estava fora da seleção brasileira nos principais momentos de crise no últimos anos. Com uma lesão na coluna, desfalcou o time na goleada por 7 a 1 diante da Alemanha, na semifinal da Copa de 2014, e também na derrota no jogo seguinte, para a Holanda, na disputa de terceiro lugar. No ano seguinte, Neymar estava suspenso quando o Brasil decepcionou e foi eliminado pelo Paraguai nas quartas de final da Copa América.

A mesma punição disciplinar fez Neymar ficar fora da única derrota brasileira na campanha das Eliminatórias, os 2 a 0 sofridos diante do Chile. O atacante acabou poupado de um outro vexame da seleção, já em 2016. Como não foi liberado pelo Barcelona, o jogador não participou do fracasso na Copa América Centenário, nos Estados Unidos, competição marcada pela eliminação do Brasil na fase de grupos e pela demissão do técnico Dunga, dias depois.

Por outro lado, com Neymar em campo a seleção brasileira se destacou na campanha do título da Copa das Confederações, em 2013. O camisa 10 marcou quatro gols na competição. O atacante ainda participou da seleção olímpica e garantiu a medalha de ouro nos Jogos do Rio, em 2016, com direito a cobrar o pênalti decisivo na final, contra a Alemanha.

Semanas atrás, quando a seleção brasileira se preparava para a Copa América ainda em Teresópolis, Tite ressaltou a importância do jogador na equipe. “Neymar é imprescindível à seleção, insubstituível, não”, comentou. Agora, já sem contar com o craque, o treinador busca alternativas para fazer a seleção brasileira ser menos dependente de Neymar.

RECOMENDAMOS

INICIATIVA POPULAR

OAB/RN propõe ficha limpa e critérios a comissionados

QUATRO DIAS DE ESPORTES

Natal recebe etapa dos Jogos Escolares da Juventude

IMPORTÂNCIA DA LEITURA

Turma da Mônica vai à Câmara para tratar sobre leitura

NA CALADA DA MADRUGADA

Mossoró: Polícia apreende cigarros contrabandeados

PELA DEMOLIÇÃO

Álvaro Dias diz que não vai gastar com Hotel Reis Magos

JÚNIOR BASS GROOVADOR

Jack Black quer levar baterista potiguar ao Rock in Rio

PLANO DIRETOR NO AR

Natal:Prefeito defende na Câmara verticalização da orla

DENÚNCIA E CAPTURA

Suspeita de participar da morte da PM de SC é presa

comentários