Economia

MINISTÉRIO DA ECONOMIA

Sem reforma, Previdência terá dificuldades para pagar salários de servidores

Estudo aponta dificuldades se a reforma não for aprovada ainda em 2019

Por Agência do Rádio Mais

16 de março de 2019 | 08:42

Foto: Alberto Leandro/Arquivo/Portal No Ar

Um estudo publicado nesta semana pela Secretaria de Política Econômica (SPE), do Ministério da Economia, aponta que se a nova Previdência não for aprovada no primeiro semestre do ano, o país vai ter dificuldades para pagar salários de servidores a partir de 2020.

Segundo o secretário de Política Econômica do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida, se o cenário atual não for mudado, o Estado poderá enfrentar dificuldades em manter seus deveres, como o fornecimento de bens e serviços públicos nas áreas da saúde, educação e segurança. O principal ponto, entretanto, passa pela dificuldade em pagar salários e benefícios de aposentadoria.

“Ou nós aprovamos a nova Previdência ou o governo terá dificuldade em pagar estes salários. Isso já acontece em vários estados brasileiros, já acontece em vários municípios brasileiros, e é uma realidade que pode vir acontecer com a União. Irão começar a faltar recursos para o Estado dar o mínimo para a população. E o quê que é o mínimo? É saúde, educação e segurança pública”, alerta.

O estudo cita também que à medida que os parâmetros populacionais mudam, passa a haver a necessidade de ser alterar os parâmetros do regime previdenciário, para que assim, seja possível reequilibrar as contas públicas.

As projeções da Secretaria de Política Econômica indicam que, nesse ritmo, em 2023, a dívida do Brasil será superior a cem por cento do PIB, alcançando 102,3%.

RECOMENDAMOS

OPORTUNIDADES

SINE-RN oferece vagas de emprego nesta quinta-feira

CONCORRÊNCIA

RN fica em desvantagem na briga para baratear voos

SERÁ?

Carlinhos Maia não teria beijado noivo durante o casamento em respeito aos convidados

PROPOSTA

CCJ aprova admissibilidade da reforma tributária

PRÉ-PROJETO

Natal define reforma do Teatro Sandoval Wanderley

SEM MUDANÇA

Fifa descarta realizar Copa de 2022 com 48 seleções

EM NATAL

Mulheres negras recebem homenagem na Câmara de Natal

ORÇAMENTO

Governo evita novo contingenciamento com repasse ao MEC

comentários