Economia

MERCADO IMOBILIÁRIO

Sem repasses, construtoras do Minha Casa, Minha Vida devem dispensar 50 mil empregados

Empresários aguardaram até março dívida que seria de R$ 450 milhões

Por Redação*

2 de abril de 2019 | 12:58

Foto: Wellington Rocha/Arquivo/Portal No Ar

Construtoras que atuam no programa Minha Casa, Minha Vida avisaram ao Palácio do Planalto que vão começar a demitir trabalhadores. Isso devido a atrasos no repasse de pagamentos devidos pelo governo. Os empresários aguardaram até março uma dívida que, de acordo com a coluna Painel do jornal Folha de S. Paulo, seria de R$ 450 milhões. Como o dinheiro não veio, eles falam agora em dispensar até 50 mil empregados em pouco mais de uma semana.

O presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), José Carlos Martins, enviou mensagens aos ministros da Casa Civil, do Desenvolvimento Regional e da Economia informando que “não consegue mais segurar o pessoal”.

Em nota, o Ministério do Desenvolvimento Regional reconheceu que “tem recebido reclamações de pagamentos abaixo do necessário”. Segundo o órgão, atrasos em janeiro e fevereiro foram decorrentes de contingenciamentos, mas há esforço para antecipar limites para os próximos meses. Para a pasta é “importante ressaltar que, desde o início do ano, o ministério liberou R$ 732 milhões para o programa”.

Dados da CBIC indicam que o Minha Casa, Minha Vida representa dois terços do mercado imobiliário brasileiro. O setor da construção, que chegou a empregar 3,4 milhões de pessoas, hoje emprega 2 milhões.

*Com informações do jornal Folha de S. Paulo.

RECOMENDAMOS

NOVO REGIME

Governo assina com aéreas redução de imposto para QAV

ARTE

Exposição põe na balança ego e moralidade

SISTEMA FIERN

Coere discutirá licenciamento de projetos fotovoltaicos

SALVANDO VIDAS

Hemonorte realiza campanha de doação de medula óssea

PROTESTO

Policiais civis fazem paralisação nesta terça-feira

HEROICO

Bombeiro do RN cumpre missão humanitária em Moçambique

COPA AMÉRICA

Jogos de hoje definem adversário do Brasil nas quartas

GRADE DE CURSOS

Fecomércio RN realiza Fórum de Aprendizagem de Natal

comentários