Economia

MERCADO IMOBILIÁRIO

Sem repasses, construtoras do Minha Casa, Minha Vida devem dispensar 50 mil empregados

Empresários aguardaram até março dívida que seria de R$ 450 milhões

Por Redação*

2 de abril de 2019 | 12:58

Foto: Wellington Rocha/Arquivo/Portal No Ar

Construtoras que atuam no programa Minha Casa, Minha Vida avisaram ao Palácio do Planalto que vão começar a demitir trabalhadores. Isso devido a atrasos no repasse de pagamentos devidos pelo governo. Os empresários aguardaram até março uma dívida que, de acordo com a coluna Painel do jornal Folha de S. Paulo, seria de R$ 450 milhões. Como o dinheiro não veio, eles falam agora em dispensar até 50 mil empregados em pouco mais de uma semana.

O presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), José Carlos Martins, enviou mensagens aos ministros da Casa Civil, do Desenvolvimento Regional e da Economia informando que “não consegue mais segurar o pessoal”.

Em nota, o Ministério do Desenvolvimento Regional reconheceu que “tem recebido reclamações de pagamentos abaixo do necessário”. Segundo o órgão, atrasos em janeiro e fevereiro foram decorrentes de contingenciamentos, mas há esforço para antecipar limites para os próximos meses. Para a pasta é “importante ressaltar que, desde o início do ano, o ministério liberou R$ 732 milhões para o programa”.

Dados da CBIC indicam que o Minha Casa, Minha Vida representa dois terços do mercado imobiliário brasileiro. O setor da construção, que chegou a empregar 3,4 milhões de pessoas, hoje emprega 2 milhões.

*Com informações do jornal Folha de S. Paulo.

RECOMENDAMOS

Chuvas no RN

Operação conjunta socorre população

LOTERIA

Mega-Sena acumula; próximo sorteio será de R$90 milhões

TORÓ

Ponte desaba, carro é arrastado e cidade fica 'isolada'

OBRA DE R$4,1 MILHÕES

Sabe como está reforma do Forte dos Reis Magos? Parada

ROLÉ DIFERENCIADO

Bolsonaro 'escapa' de hotel para dar voltinha de moto

INFORMAÇÃO NUTRICIONAL

Veja essas dicas e coma chocolate sem culpa na Páscoa

OPERAÇÃO PELA VIDA

PMs impedem suicídio na Ponte

AUTOMÓVEL

Carros brasileiros ficam mais seguros e mais caros

comentários