Interior

BELOS DESTINOS

Serras do RN crescem como opção turística

Três municípios estão vivendo um novo momento econômico

Por Redação

12 de abril de 2019 | 08:55

Foto: João Vital

Um novo destino turístico se fortalece no Rio Grande do Norte desde o ano passado. São as Serras do Agreste Potiguar, em Passa e Fica, Serra de São Bento e Monte das Gameleiras, que com suas belezas naturais e clima frio têm atraído turistas e mudado o cenário econômico local. Só em Serra de São Bento, o número hóspedes mais do que triplicou em 2018 e os leitos, que antes eram 150, subiram para 250 no total. O faturamento da rede de pousadas saiu de R$ 2 milhões para R$ 5 milhões, enquanto os visitantes cresceram de 30 mil para 80 mil.

Os resultados em Serra de São Bento também são vistos no número de agentes de viagens: antes eram 15, agora são mais de 50. Em Passa e Fica, a primeira a abrir uma agência foi Janine Ramos. Por meio do projeto de dinamização do turismo, realizado pelo Governo do Estado nas três cidades, ela pôde se capacitar e hoje é dona do próprio negócio. “Aproveitei todos os cursos que estavam abertos na área de turismo, me formalizei e hoje vivo da minha agência de viagens, que é a primeira da cidade”, diz, orgulhosa.

Foto: João Vital

O projeto foi realizado por meio do Governo Cidadão, Secretaria de Turismo e Banco Mundial, e teve duração de 18 meses. Incluiu a contratação de uma consultoria, o IABS, que elaborou um estudo sobre os potenciais das serras, realizou oficinas, capacitações, concurso cultural, com o objetivo de enraizar na comunidade a importância do turismo. Nesta quarta-feira (10), uma equipe do Banco junto ao secretário de Gestão de Projetos Fernando Mineiro, secretária de Turismo Ana Maria Costa e demais técnicos pôde conhecer os resultados in loco.

O investimento na região também envolveu a capacitação de 180 pessoas em cursos de elaboração de roteiros, técnica de guiamento em geoturismo, qualidade em serviços turísticos, boas práticas na manipulação de alimentos, controles gerenciais para a hotelaria, turismo de aventura e inglês. A rede de agricultura familiar também se fortaleceu, com a criação da Central de Comercialização e do selo “Se é da terra, tem valor”, distribuído aos bares, restaurantes e pousadas que compram produtos dessa natureza.

Mineiro fez questão de destacar que o turismo é um dos pilares do programa de governo da professora Fátima Bezerra. “É preciso avançar ainda mais na interiorização, através de uma ação articulada entre os atores do turismo, do artesanato, da agricultura familiar, porque não podemos pensar o turismo do Rio Grande do Norte sem essas outras áreas”, disse.

Foto: João Vital

“É gratificante ver como as pessoas se empenharam em melhorar a qualidade do recebimento dos turistas e como isso foi bem trabalhado com os jovens, para que deem frutos no futuro. Vocês têm aqui uma condição privilegiada e por isso é importante a sustentabilidade de um projeto como este, para que o turista venha, fique e gaste, gerando renda no município”, destacou a gerente do Banco Mundial, Fátima Amazonas.

A visita desta quarta-feira incluiu passagem por empreendimentos turísticos em Passa e Fica e Serra de São Bento, além da Casa do Artesão. Ao final, dois grupos folclóricos de Passa e Fica fizeram uma apresentação para a comitiva, que também contou com a participação do representante da Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA), Kazuaki Komazawa.

RECOMENDAMOS

OPERAÇÃO PELA VIDA

PMs impedem suicídio na Ponte

AUTOMÓVEL

Carros brasileiros ficam mais seguros e mais caros

SEXTA-FEIRA DA PAIXÃO

Como foi o treino secreto do América em pleno feriado

EDUCAÇÃO

Primeira escola indígena do RN está praticamente pronta

PRAZO ENCERRANDO

Somente 52% declararam Imposto de Renda no RN

LUTO NO FUNK

MC Sapão contrai gripe e morre de pneumonia

BRINCADEIRA OU CRIME?

De onde vem costume de roubar galinhas na Sexta Santa

ATENÇÃO

Caminhoneiros antecipam data da nova greve da categoria

comentários